MARCIA MARQUES COSTA
PORTUGUÊS
BIOGRAFIA
 
BIOGRAFIA

Nascida em Urussanga aos 6 de janeiro de 1958, filha de José Maria Neves Marques e Rita Odalea Cordini, Marcia, desde pequena, foi incentivada a descobrir o mundo das artes fazendo parte dos grupos teatrais que se apresentavam no palco do refeitório do orfanato Paraíso da Criança em festas alusivas aos pais, mães, páscoa e natal.

Declamar, dançar e cantar foram funções que lhe foram atribuídas também no extinto Colégio Rainha do Mundo, onde concluiu seu ensino no 2º  grau.

Aos 18 anos casou com Sérgio Costa, com o qual teve os filhos Grazziele, Guilherme e Giovanni e é avó de Gabriel.

Sua vida profissional iniciou ao lado do marido, ajudando na transmissão das comemorações do  Centenário de Urussanga na Rádio Fundação Marconi, no ano de 1978, emissora esta onde foi produtora e apresentadora do programa Cultura e Lazer na década de 1980.

Esse programa tinha por objetivo incentivar a organização social através do associativismo e, entre informações do mundo das artes e curiosidades da época, transmitia orientações de como formar uma associação de moradores e comunitária.

Na área étnico-cultural, também na década de 1980, foi  coprodutora do programa Urussanga Nossa História Nossa Gente, produzido em parceria com o esposo Sérgio e apresentado na Rádio Marconi, programa esse que foi o primeiro em toda a região Sul de Santa Catarina a ter como objetivo principal divulgar a língua italiana e incentivar a preservação dos valores culturais herdados dos imigrantes italianos, dando apoio ao então recém criado programa de resgate da identidade cultural italiana implantado pela secretária de educação Ana Maria Mariot Vieira.
Em 1987, acreditando no potencial cultural herdado dos imigrantes italianos e com o objetivo de ajudar na organização do segmento, tornou-se sócia fundadora da 1ª associação étnico cultural de Urussanga- a ADIU- Associação dos Descendentes de Italianos de Urussanga.

Na década de 1990 fez parte da equipe da Rádio Som Maior FM e emissoras da RCE TV como locutora e apresentadora do extinto grupo RCE, hoje pertencente a RBS/SC.

Posteriormente, tornou-se sócia da 1ª agência de publicidade de Urussanga a PUBLI-UR, agência essa que produziu os primeiros documentários sobre a imigração italiana na região com programas específicos dos municípios de Urussanga, Cocal do Sul e Nova Veneza, todos eles apresentados na então rede de televisão RCE e também no Festival de Gramado- RS.

Em 1992, tornou-se sócia proprietária e editora do jornal Panorama SC, veículo de comunicação que atinge os municípios de Urussanga, Cocal do Sul, Morro da Fumaça e Orleans.

Nesse mesmo ano participou da criação do Conselho Municipal de Entorpecentes- COMEM, com o objetivo de colaborar no trabalho de divulgação de informações sobre prevenção e combate ao uso de drogas.

Na qualidade de editora, foi responsável pela publicação de oito revistas Panorama da Nossa Gente e mais de mil edições do jornal Panorama SC.

São de sua autoria os livros Morro da Fumaça- Gente que é história, o qual relata a vida político-administrativa do município fumacense desde sua fundação; Do Tibúrcio ao Barão o qual registra os setenta anos de história da Escola Barão do Rio Branco e o livro Tanti Anni Dopo, com 500 páginas relatando a história de Urussanga e das mudanças culturais ocorridas desde a fundação da cidade até os dias atuais, inclusive o registro dos 20 anos do acordo internacional entre Urussanga e Longarone.
 A importância do Tanti Anni Dopo no resgate e preservação das informações históricas pode ser atestada na sua utilização como fonte de pesquisa para uma tese de Mestrado por professor da Universidade Federal de Santa Catarina e pela aceitação junto ao público, tendo sua primeira edição esgotada no mesmo ano do lançamento- em 2012.

Paralelo à sua atividade jornalística e de escritora, Marcia atuou como 2ª Tesoureira da Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina- ADJORI SC na década de 2000, tendo sido a primeira mulher a fazer parte de uma Diretoria dessa associação que une mais de 150 jornais catarinenses, e membro fundadora da Academia de Letras de Urussanga- detentora da cadeira nº 11, da qual é a atual presidente.

Em 2011, foi convidada a proferir palestra no Centro Espírita de Milão-Itália, sobre o tema “ Viver, um desafio para  a fé”, levando da pequena Urussanga uma mensagem de fé para os filhos da Pátria Mãe dos colonizadores de sua cidade.

Participou de vários momentos importantes da vida urussanguense sendo mestre de cerimônias de diplomações de prefeitos e vereadores, Festas do Vinho, entrega de títulos honoríficos concedidos pela Câmara de Vereadores, da formatura da última turma de formandos do extinto Colégio Rainha do Mundo entre outros acontecimentos culturais e sociais.

Convidada pelo cineasta urussanguense Yves Goulart, participou do documentário "Francisco de Assis- uma lição de Vida", documentário esse que recebeu vários prêmios mundiais por sua mensagem de superação diante dos desafios da vida.

Radialista, jornalista e escritora, Marcia acompanhou o desenvolvimento tecnológico sendo autodidata, saindo das antigas máquinas de escrever e dos fotolitos para a agilidade dos computadores e máquinas fotográficas digitais, fazendo com que o jornal Panorama SC se firmasse como um ícone de transição entre a era do chumbo dos linotipos para o mundo das redes sociais na internet, tendo sido o primeiro em Urussanga a ser impresso em off-set, o 1º a ter capa em cores; o 1º a ter site na internet, o 1º a interagir com seus leitores através de enquetes pela internet, o 1º a fazer mostras fotográficas mostrando questões ambientais e culturais tanto em Urussanga quanto nas duas mostras internacionais feitas em Longarone-IT, além de ser o primeiro veículo de comunicação urussanguense a ter criado a sua TV Digital com vídeos mostrando os acontecimentos culturais e sociais de Urussanga na internet e a ter produzido e doado à municipalidade o 1º site na internet da Festa do Vinho, no ano de 2004.

Sob  a coordenação e trabalho de pesquisa do jornal Panorama,foram reatados os laços com a família do fundador da cidade no ano de 1993 e estiveram em Urussanga, com o apoio do ex-prefeito José Vânio Piacentini, quatro gerações de descendentes do fundador da cidade- Joaquim Vieira Ferreira, com o jornal Panorama, inclusive, solicitando à Câmara de Vereadores a concessão in memorian de um título honorífico a este homem que saiu do Maranhão para assentar, em seus lotes, os imigrantes italianos que colonizaram Urussanga.

A preocupação em reatar laços da história local, transformou-se em uma jornada internacional com o jornal Panorama fazendo, as suas próprias custas, matérias e viagens as cidades de Botgliera D'Asti onde nasceu e morreu o primeiro pároco de Urussanga- Padre Luigi Marzano- local onde Marcia depositou em nome dos urussanguenses uma bandeira de Urussanga no túmulo de Marzano em agradecimento aos seus feitos; a Turim- onde reside a família que foi proprietária da fábrica de relógios que até hoje marca as horas na torre da igreja matriz Nossa Sra. da Conceição e a Novara- onde reside a família proprietária da fábrica dos sinos que também até hoje, desde a década de 1920, ainda badalam no alto da torre da igreja matriz.

Em 2013, em reconhecimento a sua participação no registro da história fumacense, recebeu por votação unânime dos edis, o título de Cidadã Honorária de Morro da Fumaça.

Em 2015, o reconhecimento pelo seu trabalho na área cultural em sua terra natal veio em forma de concessão  do título de Cidadania Benemérita de Urussanga, em projeto aprovado por unanimidade dos vereadores.