ELIANA MACHADO
PORTUGUÊS
BIOGRAFIA
 
BIOGRAFIA

Eliana Machado nasceu em São Paulo. Formou-se em letras russo, espanhol e português (USP) e trabalhou como professora de espanhol e de português em várias escolas do estado. Recebeu várias bolsas de estudo do governo espanhol e peruano, entre elas uma bolsa de estudos da Agência Espanhola de Cooperação Internacional e Instituto de Cooperação Ibero-americana (ICI, 1992) que a levou a Madri. Em 1994, instalou-se na França onde aprendeu a língua de Molière, ao mesmo tempo em que preparava o seu doutorado em Estudos Hispânicos e Latino-americanos (UNSA, 2001), ministrava aulas de português e de espanhol de negócios em um dos maiores tecnopolos da europa, Sophia-Antipolis, e ensinava espanhol na International School of Monaco (ISM). Foi professora de português na universidade Sophia-Antipolis de Nice durante dois anos, antes de começar em 2003 a sua colaboração como tradutora literária para a editora francesa Actes Sud. No ano seguinte, foi aprovada em concurso público como professora de espanhol e de francês e começou a ministrar aulas, primeiramente na França e depois em Mônaco, onde ensina até hoje o espanhol nas áreas da hotelaria e da restauração. Interrompeu seu trabalho de tradutora durante 7 anos para poder consagrar-se ao fruto da sua própria criação. Desde então publicou livros de poesia: Blanco en el blanco (2010), Locus Brasilis (2012), com prólogo do renomado poeta Raúl Zurita, Succès Intimes (2014), e o livro de contos Sete contos brasileiros (2015), publicado e apresentado primeiramente em edição bilíngue em Nova Iorque (Siete cuentos brasileños/Seven brazilian short tales, 2015) e logo em português (Sete contos brasileiros, 2015). Em 2014 criou a editora Les Éditions des Trois Rivages, publicando, em junho de 2015, a antologia bilíngue Hommage poétique à César Vallejo/Homenaje poético a César Vallejo, que reúne poemas de seis poetas latino-americanos contemporâneos. Dita antologia foi apresentada na 20a Feira Internacional do Livro de Lima e na Biblioteca Nacional da França (BnF). Multiforme e heteróclita, sua obra poética, percorre territorios que vão do poema minimalista, como o haicai, ao soneto e verso livre. Sua poesia está repleta de significados ocultos, imperceptíveis em uma primeira leitura. No que se refere à sua prosa, evidencia-se a preocupação com os aspectos sociais, como atestam os seus Sete contos brasileiros, livro de cunho fantástico, com notável influência da literatura fantástica hispano-americana dos anos 60. Quanto à ciência ficção, ela se encontra no cerne dos leitmotiv do seu primeiro romance Brasil, Aventura Interior, que será publicado em breve no Brasil e cuja sequência já se encontra em gestação. ***