FERNANDA PITTELLA
PORTUGUÊS
BIOGRAFIA
 
BIOGRAFIA

Fernanda Pittella começou a escrever um diário quando ainda era criança. Dos dez aos 23 anos manteve uma coleção de escritos, poesias, contos curtos, mas nunca cogitou em fazer disso uma profissão. Na universidade, estudou odontologia. Aprofundou-se na profissão a ponto de fazer um doutorado no Japão.

Quis o destino, esse grande senhor de nossas vidas, que Fernanda se embrenhasse no mundo literário de forma séria. Em 2013 lançou seu primeiro romance de ficção: “Adágio com Brio, uma aventura Toscana”. O livro surgiu como uma inspiração imediata – a história como que se escreveu sozinha. Em 40 dias, o manuscrito estava pronto! O lançamento se deu apenas no estado natal da escritora, Minas Gerais. Esse romance recebeu uma crítica muito positiva em um dos principais jornais do Brasil, o Estado de Minas. No mesmo ano, Fernanda Pittella apresentou o romance à comunidade brasileira, na Embaixada do Brasil em Singapura. O montante arrecadado com a venda dos livros nesse evento foi integralmente doado para um hospital infantil no Vietnã, beneficiando centenas de crianças daquele país.

  Em 2014, o livro foi traduzido para o francês e lançado nas Alliance Française do estado de Minas Gerais e do Espírito Santo, no Brasil. O êxito desse lançamento encorajou a escritora a se dedicar ao segundo volume de uma trilogia, “Allegro Vivace, du Brésil à la Provence”. Esse segundo romance utiliza os mesmos ingredientes do primeiro – memórias de viagens, família, gastronomia, poesia e bastante reflexão. Pittella reforça a linguagem coloquial adotada no primeiro livro, repleta de neologismos e expressões idiomáticas. Percebe-se também um amadurecimento na construção do texto e na exploração dos personagens. Seu segundo livro é um verdadeiro deleite literário, e alguns críticos chegaram a associar elementos de seu romance com os de Garcia Marques, Guimarães Rosa e também Thomas Moore: a existência de uma vila imaginária como Macondo (“Cem anos de solidão”) e Amaurota (“Utopia”) é o ponto de partida dos dois livros da escritora, com sua fictícia “Cabangu”.

   “Allegro Vivace” foi apresentado pela primeira vez ao público francês no prestigioso “Salon du Livre de Paris”, em março de 2015. Nesse ano, o Salon teve como convidado de honra o Brasil, dando destaque ao país e a seus escritores reconhecidos internacionalmente e também à nova geração que vem surgindo, com sua literatura renovadora e inédita. Na ocasião, Pittella teve a oportunidade de ofertar um exemplar de seu livro, cujo enredo se passa na Provence, ao presidente François Hollande. Grande incentivador das artes e das letras, Hollande prestigiou o Salon com sua presença, conversando com alguns escritores e compartilhando com o público seu prazer pela leitura.

  O livro foi apresentado ao público brasileiro apenas agora, quando a escritora participa do Festival Literário Internacional de Belo Horizonte (FLI-BH), que aconteceu entre 25 a 28 de junho de 2015.

  O lançamento oficial da obra ocorrerá no dia 21 de julho na Câmara Municipal de Santos Dumont, às 19 horas, em Santos Dumont.