CÁCIA LEAL
PORTUGUÊS
BIOGRAFIA
 
BIOGRAFIA

Cácia Leal nasceu no dia 29 de setembro de 1975, em Lauro Müller, interior do Estado de Santa Catarina. 

É formada em Letras pela Universidade Federal de Santa Catarina e pós-graduada em educação pela Faculdade da Grande Fortaleza. 

Desde cedo demonstrou interesse pela literatura e chegou a vencer alguns concursos no decorrer de sua carreira. 

O primeiro, ainda enquanto cursava o Ensino Médio, em 1990, recebeu por suas aventuras nas críticas cotidianas, com a crônica “A Crise do Petróleo”, que alcançou o 1º Lugar no Concurso de Crônicas da cidade em que nascera. 

Em 1992, foi a vez de se arriscar nos escritos mais sérios e escreveu o ensaio “Julgamento da Vida e Obra de Gonçalves Dias”, que obteve o 1º Lugar em um Concurso Estadual. 

Ainda tateando pelas letras, escreveu seu primeiro romance, “O Pico do Inferno”, publicado, em 1994, pela Editora Paralelo 27, de Florianópolis (SC). Tratava-se de uma trama juvenil, de cunho policialesco, que mostrava o abismo de jovens usuários de drogas dentro de um contexto familiar. Esse livro teve a primeira edição esgotada. 

Em 2014, após longo período de hibernação, decidiu retornar aos palcos literários, trazendo seu novo livro, “As Testemunhas”, outra obra juvenil, com trama policialesca, que permeia ação, aventura, suspense e investigação policial, com algumas pitadas de drama e romance. 

Agora em 2015, está se dedicando mais à poesia e histórias curtas e participando de quatro coletâneas. A primeira é de poesia,"Palavras de Veludo", pela Editora Portuguesa Orquídea Edições, com os poemas "Fuga" e "Poesia". A segunda é uma iniciativa da Editora Sol e se chama "Vozes não Reveladas, na qual participa com a crônica "Num Fim de Tarde de Outono", que foi considerada a melhor crônica/conto da publicação. A terceira coletânea, da Academia Internacional de Cultura, intitulada "Por um Mundo Melhor", Cácia participa com o conto "O Segredo da Vida". E, por fim, a quarta, é da editora Illuminare, intitulada "Os desconhecidos", com narrativas sobrenaturais, da qual a autora participa com o conto "O Dom de Anita", uma história onde os dons da personagem ajudarão a desvendar um crime há muito esquecido. 

Também em 2015, Cácia Leal ganhou o Troféu Corujão das Letras por sua crônica "Num Fim de Tarde de Outono", publicada na coletânea "Vozes não Revelas".