WANIA MAJADAS
PORTUGUÊS
BIOGRAFIA
 
BIOGRAFIA

Wania de Sousa Majadas é goiana de Orizona, mas ainda bem menina foi com a família para a jovem capital Goiânia, onde reside. Fez os estudos preparatórios para se ingressar em curso de graduação universitária.
Sempre interessada pelo mundo das palavras e pela literatura particularmente, seguiu o Curso de Formação e logo em seguida ingressou no Curso de Letras Vernáculas, Universidade Federal de Goiás. Terminado o curso de graduação, transferiu-se com a família, agora com três filhos, para a cidade de Ituiutaba, Minas Gerais, onde reside a maioria dos descendentes de Jose Majadas, espanhol que veio para o Brasil e se casou com uma ituiutabana; lá, Wania Majadas iniciará sua grande experiência mineira, que terá grande influência em sua vida profissional. Conclui dois cursos importantes de pós-graduação em Belo Horizonte, área de Literatura Brasileira e Linguística.
Depois de cinco anos, os Majadas de Goiânia voltam para sua cidade, mas a professora não deixa sua atividade no ensino superior da FEI (Fundação Educacional de Ituiutaba), viajando durante dez anos toda semana, e depois, de quinze em quinze dias, mais alguns anos. Como professora, sempre procurou, desde o primeiro momento, ministrar seus cursos com o máximo de dinamismo, procurando caminhos criativos e fugindo da simples historiografia literária. Sempre recusou o fácil, o comum.
Ao mesmo tempo que trabalhava com alunos universitários, convivia, também, com o ensino médio. Wania Majadas sempre acreditou que o professor universitário, para ampliar seu universo, não pode estar ausente da escola secundária, para não perder o referencial do aluno que receberá no terceiro grau. Ela acredita que aí esteja a chave para abrir certas portas emperradas que vedam a este aluno o trânsito para um desempenho favorável em sua vivência universitária. Está convicta de que o professor que se envolve apenas com os invólucros teóricos, senhor de sabedorias e verdades, dificilmente conseguirá atingir plenitude perante os discentes.
Uma das grandes experiências mineiras de Wania Majadas foi conhecer o escritor Luiz Vilela, natural de Ituiutaba. Quando leu o primeiro livro dele, Tremor de Terra (contos – 1967), disse aos seus alunos: “Ituiutaba tem um excelente escritor”.
A partir daí, a professora vai conquistando o seu caminho como futura crítica literária e ensaísta, desenvolvendo estudos importantes em sala de aula, com alunos secundaristas e universitários. Entre outros, Luiz Vilela estava sempre presente em tais estudos. Desse contexto, veio o desejo de voltar sua dissertação de mestrado, pela Universidade Federal de Goiás, para a obra de Luiz Vilela. “O Diálogo da Compaixão na obra de Luiz Vilela”, cuja defesa aconteceu em 1992. Em 2000, publica o livro, O Diálogo da Compaixão, mantendo as linhas do texto dissertativo original, mas, reformulado e com vários acréscimos necessários e importantes para o aproveitamento do leitor, além de ter como prefaciador, Fábio Lucas, um dos nomes mais expressivos da crítica nacional. Há alguns anos, O Diálogo...... está esgotado, mas tudo indica que ainda nesse ano ele terá uma reedição, através da Coleção Goiânia em Prosa e Verso, Projeto da Secretaria Municipal de Cultura.
Em 2004, defende Tese de Doutorado, pela UNESP, de São José do Rio Preto. Dessa vez, a pesquisa recai sobre linguagem e silêncio, com o título, “Silêncio em Prosa e Verso: minério na fratura das palavras”.
Em 2006, Wania Majadas recebe o Troféu Goyazes – Ensaio: Nelly Alves de Almeida, pela Academia Goiana de Letras.
Em 2007, a tese de mestrado transforma-se no livro, Silêncio em Prosa e Verso: minério na fratura das palavras, publicado pela Secretaria Municipal de Cultura, através da Coleção Goiânia em Prosa e Verso.
As publicações de Wania Majadas têm sido de real valor para a pesquisa em setores acadêmicos de universidades brasileiras.
A ensaísta tem várias publicações em jornais e revistas literárias em Goiás, São Paulo, Minas Gerais e Espanha, e dedica suas pesquisas a obras de vários autores brasileiros.