DULCE VALVERDE
PORTUGUÊS
BIOGRAFIA
 
BIOGRAFIA

Dulce Maria Guimaraes Valverde, nome de batismo; Dulce Maria Valverde Lenderts, nome de casada; ou simplesmente Dulce Valverde, como prefiro e gosto de assinar. Sou de Salvador, BA. Pousei la' em 3 de maio de 1970, onde fiquei ate' os 24 anos.
Um dia, da Bahia, eu abri as asas e voei pra longe. Parei no Norte das americas, mais precisamente em Alamosa, Colorado, EUA. Estou aqui desde agosto de 94 e, sempre que possivel, vou ao Brasil para respirar e me alimentar.
Desde pequena estive envolvida com arte e cultura. Fiz cursos de danca, teatro, canto; Fundacao cultural, TCA, Espaco Xis, UFBA, ate' que aconteceu o "click" e eu abracei de vez o teatro; nele eu podia ser tudo. Trabalhei com teatro na Bahia, da segunda metade dos anos oitenta ate' o ano em que sai' do Brasil. Quando sai', eu estava cursando licenciatura em teatro na UFBA. No Brasil, participei de alguns festivais e recebi, em 92, indicacao de melhor atriz em um festival nacional de teatro que foi realizado na cidade de Vitoria do ES.
Nos Estados Unidos, depois que aprendi com fluencia a lingua (falada nas ruas), fiz um curso de ingles especializado para a area academica e voltei para a faculdade. Formei em "Speech, Communication & Theatre Arts", ou seja, Oratoria, Comunicacao e Artes Cenicas (enfase em artes cenicas), com Minor (credenciais) em Artes Plasticas. Passei tambem pelo departamento de musica, onde fiz canto lirico e violao; mas fiquei so' por 3 semestres e acabei trocando esse curso pelo de artes plasticas.
Minha tese,"Repression or Freedom: Aspects of Brazilian Theatre", foi sobre o teatro brasileiro e sua influencia (e mudancas que veio a causar) no quadro politico e social do pais na epoca da ditadura.
Trabalhando com teatro aqui nos USA, participei de alguns festivais e recebi algumas indicacoes. Em 2000 recebi o melhor atriz no festival do Rock Mountain Theatre Association.

Do meu amor com as letras; por onde tambem vou tecendo meus bordados:

Aos dois anos escrevia meu nome. Aos tres, identificava palavras e aos quatro aprendi a le-las. Aos cinco, escrevi uma poesia...

- Nesse meio tempo eu devorava as figuras dos livros da vasta biblioteca do meu pai. As figuras dos livros de mitologia grega me fascinavam mais que tudo. Quando aprendi a 'totalmente' ler, voltei varias vezes la' pra tentar entender o que elas significavam. Descobri e me encantei com o grande Zeus e os Deuses do Olimpo. Depois, com texturas mais suaves, fui descobrindo quadrinhas, versinhos, CeciliAmada Meireles, Monteiro Lobato, Vinicius, Vasconcelos e o seu "Meu Pe' de Laranja-Lima"... -


A poesia penso ser um legado do meu pai, Josair Valverde, que tambem bordou palavras desde muito cedo. Hoje ele recita `a nuvens, estrelas e passaros.

Alem da tese que cito acima, tenho poemas publicados em revistas literarias e participo da "Antologia de Escritores Brasileiros e Autores de Paises de Lingua Portuguesa" 3a. Edicao, 2006 (Editora Ricardo de Benedictis).
Recentemente fiz um trabalho para a Revista Chinesa VISION, editando e traduzindo para o ingles textos relacionados ao trabalho do artista fotografico Marcio Lima. (VISION MAGAZINE, China, September 2009 Edition).

Sou esposa e mae e quem me acompanha na minha jornada, embelezando e me ensinando a cuidar do meu jardim da vida e' meu filho, Ben Laurent. Ele e' ameriBaiano; ou seja, nasceu aqui, mas e' produto MADE IN BAHIA; fala em portugues e ingles, acorda cantando ou pedindo para escutar uma musica que gosta e, as vezes, acorda de madrugada pra cantar e canta ate' dormir denovo. Ele fara' 5 anos (em agosto) e adooora as musicas do Dorival caymmi, Tete Espindola, Olivia Byington, Marisa Monte, Caetano Veloso, Adriana Partimpim, Mozart, Beethoven e Bach. GRAÇAS A DEUS!!!

Abrassarinhos e Beijuritis aos amigos que voarem e pousarem por essas linhas desse meu caminho.

LUZ, PAZ e AMOR

Dulce Valverde