LENIR SILVA
PORTUGUÊS
BIOGRAFIA
 
BIOGRAFIA

 

As crônicas de Lenir Silva convidam a um passeio pelo universo multifacetado da autora, marcado pelo vai-e-vem de suas andanças e pelas circunstancias que a vida e o trabalho lhe presentearam.
Elas – as crônicas – carregam em si a leveza da palavra simples, objetiva e sem rodeios, como era de se espera de uma jornalista que vive o cotidiano do povo de sua terra. Sem dar espaço ao beletrismo pedante, Lenir embrenha-se no linguajar do ser ribeirinho, apreende sua cultura e a traduz com fidelidade.
Suas muitas facetas – a adolescente-aluna, a jornalista, a mulher, a mãe, a cidadã... – se revelam a cada página de seus livros, descortinando as preocupações e situações de cada tempo, o corriqueiro e o inusitado.
Assim, trilhar as páginas dos livros dela, não é um exercício de impaciência como poderia supor, mas de encontros e reencontros, com o conhecido e o inédito, com a sempre surpreendente trivialidade do cidadão urbano e a perplexidade diante dos acontecimentos inusitados.
Lenir Silva escreve, quase sempre, na primeira pessoa. É ela a protagonista, ora profissional que persegue a noticia, ora cidadã perseguida pelas mazelas dos tempos atuais. Mas em tudo, a calma, o olhar sobre a cidade e seu povo, os tempos e a vida.
Seus textos. Um mundo próprio e um convite a conhece-lo.

Paraense de Santa Maria do Pará, adolescente mudou-se para Tucuruí em busca de seu pai, Luiz Silva, um dos milhares de operários na construção da primeira etapa Usina Hidrelétrica de Tucuruí.
É Jornalista, licenciada em Filosofia, técnica em Serviços Públicos, Pós-graduada em Psicopedagogia e em Neuropsicopedagogia.
Lançou a primeira edição do livro "Ora, acalme-se..." em 1995, em Campo Grande - MS e Goiânia - GO. Em 2000 publicou a segunda edição – Editora Ética, Imperatriz-MA.
Em 1995 concluiu, mas não publicou o livro de poesias "Um, dois, três, recomeço outra vez" (considerou-o piegas, apesar de um crítico avaliar como muito bom, embora um pouco "molhado").
Em 1996, participou da coletânea "Gerando Gerânios", do grupo teatral Fadas, Gnomos e Bruxas, de Mato Grosso do sul, todos em produção independente. Em 1998, concorreu ao "Prêmio Gruli", do Grupo Literário de Imperatriz - MA, sendo classificada entre as dez melhores do Pais, na categoria Crônica, com o trabalho "Antônimas e Parônimas".
Lenir Silva nasceu em 21 de abril de 1964, tem quatro filhos: Gina, Gian Paolo, Pietro e Vitório e quatro netos: João Pedro, Sophia Luisa, Victor e Esther.
Outras obras da autora: "Espírito Livre", romance, "Um, dois, três, recomeço outra vez", poesias. Além de colunas em jornais e revistas do Pará e Maranhão.