ADRIANA TANESE NOGUEIRA
PORTUGUÊS
BIOGRAFIA
 
BIOGRAFIA

"Escrever é uma forma de amar."

Nascida no interior de São Paulo, Brasil, filha de mãe imigrante italiana e de pai militante revolucionário brasileiro, aos cinco anos Adriana fugiu com sua família para a Itália, escapando à perseguição da ditadura militar em seus anos mais duros. Viveu a maior parte de sua vida em Milão, voltando ao Brasil 25 anos depois. Morou no Rio de Janeiro e em São Paulo. Em 2006 mudou-se para Boca Raton, FL, EUA. Sua linguagem e perspectiva é resultado da combinação das línguas e culturas que contribuiram para sua formação.

Seu horizonte existencial e de pensamento está marcado pela longa trajetória e prática em psicologia pós-junguiana (Escola Silvia Montefoschi, Milão), pelos muitos anos de estudo de Filosofia (Laurea pela Università degli Studi di Milano), por seu mestrado em Ciências da Religião (na Puc/SP) e pela sua atividade em favor do movimento pela humanização do parto, que foi desencadeada pelo belo nascimento domiciliar de sua filha Beatriz, em 1998 no Rio de Janeiro.

Presidente e fundadora da ONG Amigas do Parto desde 2003, Adriana coordena as atividades gerais da organização, cuidando em especial do site – www.amigasdoparto.org.br - e da série de cursos online que alcançam em seu corpo docente e discente mais de 9 países. Orgulha-se pela criação em 2007 de A Tenda Vermelha, curso sobre mulheres, de mulheres para mulheres que demonstrou ser uma ferramenta criativa na promoção da individuação feminina. Em 2004 lançou o Prêmio anual Amigas do Parto para o encorajamento e o apoio a profissionais e instituições. Desde este mesmo ano integra o grupo de pesquisa “Gênero e Religião” do Programa de Ciências da Religião da Puc/SP.

Seu primeiro jornal de bordo remete aos seus doze anos e desde então vem escrevendo diariamente. Publicou em revistas italianas como Noi Donne (“Noi e i nostri sogni”) e Sfera (“Noto ed Ignoto”); em brasileiras como Ética & Comunicação (“Ética e psicologia do profundo: a conscientização como dever ético”) e Texto & Contexto (“O parto: encontro com o sagrado”); em americanas como Spotlight on Recovery (“Identifying sexual addiction” e “Vasectomy: why not”). Tem mais de 50 artigos no espaço cibernético, entre eles: “Algumas reflexões sobre o conceito de humanização”, “As esquisitices do parto”, “Relação como alimento”, “Resgatando o parto”, “Maternidade e Paternidade”, “A dor boa e a dor má: o parto e a ginástica”, “Era uma vez o parto”, “O caminho das Deusas: uma homenagem às mulheres”, “Entre o símbolo e o simulacro”, “A propósito da objetividade”, “Parto Alquímico”, “No parto como no sexo”, “Humanização e Feminismo”.

Seu primeiro livro em co-autoria com Ciça Lessa, “Mulheres contam o parto”, saiu em 2004 pela ítalo-brasileira Editora Italia Nuova. Atualmente está trabalhando num livro autobiográfico que entrelaça o história nacional brasileira com as vicissitudes familiares numa das décadas mais intensas do século XX.

Está em via de publicação seu segundo livro, "Empoderando as Mulheres. Humanização e Psicologia", pela editora Biblioteca24x7, São Paulo.

Contato: adrianatnogueirauol.com.br; adrianatnogueirabellsouth.net