ROSĀNGELA VIEIRA ROCHA
PORTUGUÊS
BIOGRAFIA
 
BIOGRAFIA

Nasceu em 15 de janeiro de 1953, em Inhapim, Minas Gerais, zona da Mata. Veio para Brasília em 1968, onde fez o segundo grau no CIEM – Centro Integrado de Ensino Médio, considerado, na época, uma experiência pioneira da Universidade de Brasília.

Embora goste de ler desde pequena, foi nesse colégio que entrou em contato com a obra de Fernando Pessoa e Cecília Meireles (desta, só conhecia “A canção dos tamanquinhos”). Prestou vestibular para Comunicação, habilitação Jornalismo, no Departamento de Comunicação da Universidade de Brasília, hoje Faculdade de Comunicação. No último semestre do Curso estagiou, como repórter, na sucursal brasiliense do jornal “O Estado de São Paulo.

Recém-formada, participou do Programa para Graduados Latino-americanos na Universidade de Navarra, em Pamplona, Espanha, onde viveu por seis meses. Obteve o título de Mestre em Comunicação na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Trabalhou em diversos Órgãos do Ministério da Educação, incluindo-se o extinto Conselho Nacional de Direito Autoral. Transferiu-se para o Ministério da Cultura, onde assessorou o ex-Ministro Celso Furtado.Em 1991 mudou-se para Salvador, Bahia. Fez concurso para professora da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia e para o Curso de Publicidade da Faculdade Católica do Salvador. Lecionou em ambas as instituições e formou-se em Direito nesta última. No final de 1998 retornou a Brasília, transferindo-se para a Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília. Atualmente, leciona as disciplinas Oficina de Textos e Oficina Avançada de Narrativas, além de coordenar os projetos experimentais, que correspondem a dissertações de Graduação. É filiada à Ordem dos Advogados do Brasil, OAB, e membro da Associação Nacional de Escritores. A infância no interior de Minas foi determinante para o seu trabalho, como escritora. Lá aprendeu a escrever cartas e, a pedido das amigas, tornou-se a redatora oficial das cartas para os seus namorados, que estudavam na capital. Considera esse o período mais marcante de sua vida, quando tudo começou, isto é, quando foi mordida pelo “inseto literário”. Como na cidade não havia livrarias, os livros, emprestados, passavam de mão em mão até se transformarem em objetos despedaçados, faltando páginas. Um de seus traumas literários mais relevantes foi o fato de não ter sabido, na época, o final de “Orgulho e preconceito”, de Jane Austen, livro que adora. Adulta, comprou vários exemplares, para não correr mais riscos.

Embora escreva desde menina, transformou-se em escritora publicada em 1990, com “Véspera de lua”, romance classificado em primeiro lugar no “Prêmio Nacional de Literatura Editora UFMG 1988”. O primeiro livro que escreveu, contudo, foi “Rio das Pedras”, classificado entre os dez finalistas da 4a. Bienal Nestlé de Literatura Brasileira, tendo recebido, também, Menção Especial no Prêmio Graciliano Ramos, conferida pela União Brasileira de Escritores, em 1990. Este texto só foi publicado em 2002, após ter obtido o primeiro lugar, na categoria novela, da “Bolsa Brasília de Produção Literária 2001”, concurso promovido pela Secretaria de Cultura do Distrito Federal.

Estreou, como contista, na Antologia do Conto Brasiliense, organizada pelo poeta e contista Ronaldo Cagiano, publicada no início de 2004, com o conto “O arrebatamento”.

No momento está escrevendo seu terceiro romance, cujo título provisório é “Dias do meio”.

Sobre “Véspera de lua”, a Professora Ruth Silviano Brandão, em artigo intitulado”Os ritmos do corpo e os ritmos da escrita em Véspera de lua”, publicado na Revista Literária da UFMG no. 22, escreveu que “abrir o livro de Rosângela Vieira Rocha, Véspera de lua, é, no mínimo, abrir-se para os ritmos de uma escrita que se fez no corpo e do corpo. Ritmo corporal, cíclico, lunar, ele próprio produtor de um sentido que se faz na materialidade dos significantes gerados numa escrita fluídica, menstrual, líquida e dolorosa.”