BRANCA MARIA DE PAULA
PORTUGUÊS
BIOGRAFIA
 
BIOGRAFIA


Branca Maria de Paula, escritora, fotógrafa e roteirista, estreou na literatura em 1978 ao receber o “Prêmio Status de Literatura Erótica” com o conto Fundo Infinito. Naquela época, a revista Status, hoje extinta, fazia história na divulgação desse gênero literário por seu alto nível de qualidade e gozava de grande prestígio junto aos leitores da boa ficção brasileira.
O texto de Branca, censurado na íntegra, só foi publicado um ano depois, num encarte especial, com outros contos proibidos de serem veiculados na revista: um de Rubem Fonseca, outro de Dalton Trevisan .
Seu primeiro livro, A mulher Proibida, saiu em 1980.
Trabalhou na Imprensa Oficial de Minas Gerais com o escritor Murilo Rubião e colaborou no Suplemento Literário do Jornal Minas Gerais.
Participou do projeto Luz del Fuego, a Bailarina do Povo – Bolsa Vitae de Literatura, 1989.
Entre os 16 livros editados, destacam-se: Um Fio de Camelo – contemplado no Grande Prêmio Minas de Cultura da Secretaria Estadual da Cultura; Pacífico, o Gato ilustrado por Aldemir Martins – Menção Altamente Recomendável pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil; Claro Escuro - infanto-juvenil - e Fundo Infinito, contos, traduzido para o italiano e lançado em Roma,pela Vertigo Edizioni, em 2007.
Participa também de várias antologias. Entre elas, Intimidades (Dez Contos Eróticos de Escritoras Portuguesas e Brasileiras) e 69 ¹/² Contos Eróticos.
É autora do roteiro Amor Barroco, longa-metragem de ficção.
Vive em Belo Horizonte, Minas Gerais.