ROSE ELIZABETH MELLO COMENHO
PORTUGUÊS
TEXTOS
 
TEXTO

Entrevista para o blog literário Incriativos, na ocasião do lançamento de meu primeiro romance "Desafiando o Destino", em 2014. 
Uma maneira de apresentar um pouco mais do meu trabalho para as colegas da REBRA. ___________________________________________________________________         
ENTREVISTA COM A AUTORA ROSE ELIZABETH MELLO
  

Blog literário Incriativos 

  Rose Elizabeth, que é grandiosa, sem aceitar isso, ou melhor, sem se exibir. 
  Escreve como grande escritores, sendo jovem na arte. Suas palavras são lindas, confortam e trazem ensinamentos, não como refúgio, mas como uma ferramenta para o operário. Pois o que ela escreve não nos ajuda a fugir, mas nos incentiva a lutar, a trabalhar; não ter medo da vida, mas sim, aprender e gostar de viver. 

  Humilde, sincera, engraçada, escritora e, como se não bastasse, é graduada em Design de Interiores e pós-graduada em Projetos de Iluminação. 
 Essa é a Rose Elizabeth Mello! 

1° Quando começaram seus estudos sobre o espiritismo? 
R. Foi em 1983. Perdi meu pai ainda novo, aos 52 anos, em um acidente de carro dias antes do Natal de 1982, uma época onde a dor de qualquer perda torna-se maximizada. Logo nos primeiros meses do ano seguinte, li pela primeira vez um romance espírita: “Entre o Amor e a Guerra” da fantástica Zibia Gasparetto. Após esse livro, passei a estudar a doutrina, que sigo e ainda estudo hoje. Lá se vão 31 anos de uma vida que, com esses novos conhecimentos, tornou-se muito mais leve, amorosa e feliz. Conheci o mundo espiritual através da dor, mas hoje sei como é possível conhecê-lo através do amor. 

2° De que se trata o livro e qual sua inspiração? 
R. O livro faz uma abordagem sobre as oportunidades que temos, sempre, de escolher que caminhos iremos percorrer durante a vida. O que chamamos de “livre arbítrio”. As escolhas certas abrirão novos e promissores caminhos, e as erradas podem se tornar um entrave a ser superado. Nós temos o poder da decisão. 

3° Como você acha que seu livro ajudará as pessoas? 
R. Através de meus livros procuro ajudar o leitor a fazer uma reflexão sobre o tema e sua influência na vida de cada um. O estudo sobre o plano espiritual, das muitas vidas que vivemos e dos mundos diversos que habitamos, me abriu um horizonte maravilhoso e foi decisivo para que eu pudesse ver sentido em coisas que antes me pareciam absurdas e inadequadas. Mas aprendi que tudo está certo, exatamente como deve ser, e quando compreendemos isso, alcançamos uma paz fundamental para seguirmos com serenidade nosso cotidiano. Quero compartilhar com os leitores esse mundo que venho descobrindo a cada dia. Ser feliz no bem, no amor, ser uma pessoa melhor e em sintonia com as melhores energias é a meta. Qualquer outro tipo de felicidade é ilusória e efêmera. 

4° Quanto tempo levou para ser escrito? 
R. Cinco meses e meio. 

5° Qual foi a parte mais difícil, e a que você mais gostou, de escrever? 
R. A mais difícil sempre é a despedida (risos). São meses convivendo diariamente com personagens que tornam-se meus amigos. Suas vidas, cada vitória ou cada derrota, são acompanhadas por mim com emoção porque eles adquirem vida própria. Alguns deixam muita saudade. Escrever tem um significado para mim que não consigo dimensionar. Sou muito feliz por ter, em meu trabalho, um dos maiores prazeres de minha vida. Por essa razão, gosto de cada momento do desenvolvimento de um projeto. Choro mesmo, dou risada, sinto uma grande responsabilidade, mas também, uma grande alegria. 

6° Quando e como você percebeu que é uma escritora? E qual a sensação de ter livros publicados? 
R. Notei no exato momento em que terminei meu primeiro romance. Estava feito! E eu queria mais, me aprimorar, me dedicar, estudar e aprender a fazer cada vez melhor. Foi uma felicidade indescritível e a certeza de que era tudo o que eu queria fazer. A sensação de ver meu trabalho publicado é algo que ainda estou assimilando. Só posso dizer de imediato que estou realizando um de meus maiores sonhos e conquistando um grande objetivo. E digo sem medo de errar para todos, que não desistam de seus sonhos, que lutem e trabalhem com seriedade e dedicação para alcançá-los. É muito provável que encontrem obstáculos, talvez tenham que mudar a estratégia, recuar um pouco, ter paciência. Mas se é algo bom e que vem do fundo de suas almas, perseverem. A melhor fruta raramente está no chão, e dá trabalho pegá-la, mas o sabor no final valerá todos os esforços. 

7° Por que dentre tantos assuntos, escolhestes o espiritismo para escrever sobre? 
R. Aconteceu naturalmente. Aprendi muito lendo os romances espiritas e sempre tive sensações maravilhosas ao término de cada um deles. Depois, com o estudo dos livros de Allan Kardec, Chico Xavier e Divaldo Pereira Franco fui me envolvendo cada vez mais. Um dia acordei, simplesmente sentei no computador e iniciei meu primeiro romance. Fazer uma obra literária de qualidade e poder, através dela, além de momentos de entretenimento, transmitir uma boa mensagem aos leitores é uma grande felicidade. 

8º Como está sendo o suspense sobre a publicação do livro? 
R. Existem boas editoras de livros espíritas e espiritualistas no Brasil, mas por ser grande admiradora há muitos anos da senhora Zibia Gasparetto, desde minha primeira produção meu maior desejo sempre foi ter minhas obras publicadas pela Editora Vida&Consciência. E hoje, fazer parte dessa equipe incrível ao lado de Marcelo Cezar, Monica de Castro, Luiz Gasparetto, Amadeu Ribeiro e tantos outros brilhantes autores é uma grande honra. A expectativa é grande, mas procuro conter a ansiedade. Até a Fernanda Montenegro, grande e maravilhosa atriz, até hoje diz que sente um friozinho no estômago antes de estréias no teatro. Imagine como me sinto! (risos) 

9º Planos Futuros? 
R. Sempre! Estou terminando agora em Janeiro mais um romance. Esse livro tem uma situação muito interessante e inusitada sobre sua concepção, mas que deixarei para contar mais para a frente, quando ele estiver perto de ser lançado. Estou também iniciando minha primeira adaptação de um romance meu para o teatro. A idéia seria pensar na produção da peça ainda esse ano, mas talvez tenha que esperar até 2015. Mas não me preocupo muito com isso. Vivo cada dia da melhor maneira possível e trabalho buscando o meu melhor. Na hora certa, tudo se encaixa e flui soprando os melhores ventos.