VERA SALBEGO
PORTUGUÊS
TEXTOS
 
TEXTO

Eu te amo

Como bicho animal
Sabendo-me ferina
Voraz,vento
Que avassala,
Carrega,
Modifica...


Eu te amo
Qual nunca amou
E jamais amaria!

O´ ,te afastas
Só o espaço da volta!
Para que eu te encontre
Sempre no mesmo lugar:

Em mim!




Vera Salbego. D.A.Reservados
Poesia do Livro Caminhos


AS QUATRO ESTAÇÕES.

Deus criou as quatro estações
Para que o homem
Aproveitasse todos os momentos da vida.
O verão para saborear o sol
E a natureza com toda sua essência.

A primavera para olhar e sentir
Os aromas da natureza.
Com todo seu esplendor.
Sua majestade em flor.

No outono as folhas caindo
E a gente sentindo na pele
O ventinho que vem de mansinho.
E os dias que vão escurecendo mais cedinho.

Chega o inverno.
Que Deus criou para o homem
Voltar-se mais para junto da família.
Do aconchego do lar.
Para interiorizar-se.
Buscar no intimo de cada ser.
A reflexão de si mesmo.
E poder continuar assim.
A caminhar e viver junto às quatro estações do ano.

VERA SALBEGO
http://verasalbego.zip.net


ANJO


Um anjo bateu em minha janela
Trazendo musica pra me acordar
Mostrou-me a lua.
Iluminou meu coração.
Subiu a serra
Visitou as Araucárias.
E o sol foi testemunha
Do reencontro.
Sorrindo ao amanhecer.

Fomos ao Templo
E deixamos os mantras
Abençoar-nos.
Lá no alto o anjo tomou chimarrão.
Sorriu e viveu.
Na essência e magia
Da amizade.

Na trilha do caminho
Entre morros verdejantes
E o aroma da pitangueira
No ar.
Exalando vida.
E o anjo amigo
Busca no encontro
O valor da amizade.

Na brisa da tarde
No pôr do sol de Portinho.
O anjo vive aquele momento sagrado.
A amizade.

Nas águas do rio abençoado
Laços foram fortalecidos
E no silêncio da tarde 

O anjo amigo.
Deixa marcada sua presença.
No solo gaúcho.

Na voz e no canto
Que encanta.
Musica no ar.
Emoção no coração.
Embalados pela sinfonia
Como um pássaro
Que busca a acolhida
No repouso da amizade.

O anjo despediu-se
Na esperança de um novo
Amanhecer.
Voou por entre nuvens
E deixou saudades
Mas a certeza de um novo reencontro.
E o anjo foi-se na melodia do Vento...

Vera Salbego 


Importância do Amor

O amor vence a rotina.
Domina a indiferença.
Rompe barreiras,
Ciúme, egoísmo, inveja.
Faz com que nossas vibrações interiores.
Sejam harmoniosas, equilibradas.
Para serem colocadas
Beneficamente a serviço dos outros.
Pois sem amor.
A vida se torna vazia.
O amor é a mola mestra da vida.
O rumo certo da procura.
E o cais seguro
Nele tudo se tem.
Sem ele, só o vazio.
Da própria imensidão
Numa única solidão
O desamor total.

Vera Salbego 

POESIA AUTOBIOGRAFICA


Sou mulher, fêmea...
Que leva a vida com sua poesia.
Fêmea com sua sensibilidade
A flor da pele.

Amiga, irmã
Trago no coração
O carinho da amiga
E nos braços o abraço de irmã.

Minha sensibilidade
Faz-me ser consciente
Dos problemas da Sociedade.
Preocupo-me com os desamparados.
E meu coração gostaria de aconchegar a todos.

Odeio tudo que for Preconceito.
Nada vejo de diferença.
Afinal, todos somos filhos do grande Pai Celestial.

Sou guerreira.
Enfrento a vida de cabeça erguida.
Sou determinada e corro atrás dos meus sonhos.
Sou de poucas palavras
Pois prefiro as ações.

Muitas vezes me magôo com facilidade.
Minha sensibilidade e minha alma
Estão muito prementes e envolvo-me inteiramente.
Nas coisas que faço.
E nas amizades que tenho.
Entrego-me inteiramente.
Não vejo a maldade e a deslealdade.
Que muitas vezes encontro no meio de um sorriso
Ou de um abraço.

Mas, prefiro ser assim.
Acreditando nas pessoas.
E deixando-me levar pelas minhas Poesias.
Sou simples e acredito no Sonho.
Senão não estaria aqui fazendo da palavra.
A minha AUTOBIOGRAFIA.
Descrevendo-me como sou.
E crendo nas minhas convicções.
E nas minhas raízes.
Deixadas por meus ancestrais.
Que vieram além mar.
Da nossa amada Itália.
Onde um dia meus pés pisaram.
Nestas terras para sentir
Em minha alma e coração.
A essência que busco de minhas raízes.
Onde deixarei um dia publicado meus versos.
Na língua Italiana.
Marcando assim a minha passagem.
Por estas terras.
E deixando no coração da poetisa.
A realização de um sonho.
Esta é a VERA SALBEGO
CÔNSUL DE GUAÌBA RS
Poetisa que faz da Poesia seu Lema de Vida!


QUANDO EU MORRER



QUERO DEIXAR MEUS VERSOS
NA BOCA DO VENTO
E RIR DA MORTE
EM TODOS OS VERSOS MEUS.


QUANDO EU MORRER...
NÃO QUERO TRISTEZAS.
E SIM, UM GRANDE.
SARAU POÉTICO.
A CANTAR OS VERSOS MEUS.

QUERO SER LEMBRADA
PELA POESIA
E LEVADA PELO VENTO
NA BOCA DO TEMPO.

NESSE DIA, QUERO MUITO SOL.
A ILUMINAR MINHA PARTIDA.
NO AR, APENAS A SINFONIA.
DA POESIA,
EXALANDO NA BRISA DO TEMPO.
TODA POESIA QUE IMORTALIZADA FICOU!


VERA SALBEGO.
DIREITOS AUTORAIS


CONTOS





AS MUITAS FACES DO AMOR DE VERA SALBEGO











AMOR REAL



No interior do Rio Grande do Sul, precisamente em Alegrete havia duas adolescentes, que começavam a frequentar a casa uma da outra, pois se conheciam desde a Escola Primária.

Luiza e Bia passeavam juntas, e como moravam no interior não tinha muitas opção de passeios, então iam aos parques, e cinemas. As duas gostavam de estar juntas .

Os dias iam passando, e a vida também. Luiza tinha uma cachorrinha, e gostava muito dela. Iam ao parque e caminhavam pelas largas avenidas daquele belo lugar. Conversavam muito sobre vários assuntos e percebiam a afinidade que tinham uma com a outra.( aqui ficou uma dúvida: Luiza ia ao parque com a cachorrinha e conversava com ela? Ou a amiga estava junto com a cachorrinha e a luiza?) Passados os dias, aparece um rapaz loiro, de olhos claros querendo namorar Luiza .

Luiza ainda não tinha decidido ter namorado e foi levando Paulo até onde pode. Até que um dia chegando em sua casa vê que alguém esta falando com seus pais. Era Paulo! Estava pedindo permissão para namorar com ela. Luiza ficou quieta, pensativa, e percebendo, que esta entrando num beco sem saída,embora não soubesse porque se sentia dessa maneira.

Os dias vão passando, e Paulo começa a frequentar sua casa. Suas longas conversas com Bia vão ficando raras.

Percebe que não gosta das caricias de Paulo, mas não tem coragem de falar para ele. Paulo cada dia mais apaixonado, não percebe a frieza da namorada.Luiza. Confusa com suas idéias, fica quieta pensando em sua vida, e percebe que nos seus pensamentos sempre vem a imagem de sua amiga Bia.

Bia estranha a ausência de sua amiga e fica caminhando sozinha pelas ruas de Alegrete. Certo dia vai a um rodeio, e encontra Luiza e Paulo. Vai ao seu encontro, cumprimenta os dois, e ficam ali conversando. Percebe que Luiza não para de olhar para ela profundamente e nota que fica corada com essa situação.

Bia envolve-se com seus eventos na escola, e percebe que sente a falta de sua amiga, que hoje já não fica depois do horário para ajudar nas tarefas da aula.

Meses se passaram, e as duas só se viam na escola. Não mais saiam.

Paulo entusiasmado com a beleza de Luiza a pede em casamento, e vai até sua casa. Lá chegando Luiza o recebe com o mesmo sorriso. Ele cheio de amor pede Luiza em casamento querendo marcar para breve o enlace matrimonial. Cada dia que passa Luiza sente uma tristeza enorme, que invade sua alma.

Reflete sobre o pedido de casamento, e nota que não esta feliz com essa situação, pois não deixa de pensar em Bia. Resolve ir a casa de Bia.

Vai rápido e chegando lá encontra Bia dormindo. Fica admirando aquele corpo maravilhoso, aqueles cabelos longos e sedosos, e um carinho todo especial começa a vir a tona. Sente no ar o perfume de sua amiga, que inebria seus sentidos. Fica ali contemplando-a. Quando Bia acorda, vê sua amiga ali perto, com uma cara de felicidade.

Sorri para sua amiga, e pergunta: "o que tu esta fazendo por aqui, sua desaparecida". Luiza não responde, pega sua amiga, e lhe dá um beijo demorado sentindo que é correspondida. Ficam ali abraçadas, fazendo carinhos uma na outra sem se dizerem nada.

As horas passam, e não percebem, pois estão tão felizes, que parecem ouvir violinos em sua volta.

Luiza então, desvenda o mistério que até ali estava, pois pensava muito em sua amiga. Só não sabia que estava dentro do seu coração um carinho todo especial por Bia. As duas ficam conversando sobre o assunto. Luiza está feliz com sua amiga, ainda mais que Bia corresponde ao seu amor.

Bia confessa que já gostava de Luiza, mas não tinha coragem de confessar esse amor por ela, ainda mais que a outra estava namorando, então procurou ficar quietinha, na dela sofrendo calada.

Luiza então diz que vai contar à Paulo, que não ama ele, pois esta apaixonada por sua amiga.

Volta para sua casa, e o encontra falando com seus pais. Respira fundo, e diz à Paulo, que quer lhe falar.

Os dois vãos para a varanda, e Luiza conta o ocorrido. Paulo, agora triste com a situação comenta que tinha notado a frieza de sua namorada. Se despedem e ele parte triste, não retornando mais a sua casa.

À noite chega,e seus pais querem saber o que houve com eles. Luiza então encara seus pais, e diz a verdade: estou apaixonada por Bia, e ela também me ama. Estamos felizes.

Seus pais a olham e dizem: filha não é fácil este sentimento que estás sentindo por sua amiga. Mas se tu é feliz nós te apoiamos. Porque te amamos, e será sempre a nossa menina.

Os três se abraçam felizes.

Luiza corre, e liga para Bia contando sobre o que havia acontecido, e que contou também para sua família.

Marcam um encontro ao Luar.

Chegando lá as duas se abraçam e se beijam livremente selando assim o amor das duas.



AMOR DIFERENTE



Esta é mais uma história que irei relatar sobre um amor diferente.

Eram duas amigas, que participavam de viagens, festas da universidade, e queriam apenas aproveitar aqueles momentos divinos da juventude.

Passeavam por entre as praças da cidade, gostavam de fazer longas caminhadas, e sabiam fazer das pequenas coisas, um mar de rosas.

Naqueles tempos a juventude sabia o que queria. Reivindicavam seus direitos.

Os anos passaram. E as duas continuavam felizes, pelos caminhos da vida, sem entender aquele querer diferente.

A vida tomou rumos diferentes, e cada uma seguiu sua caminhada. Uma seguiu o rumo das Letras, e tornou-se uma escritora que dividia seus dias entre livros, saraus poéticos, e muita leitura, e a outra foi levada pelo tempo.

Os anos continuavam passando, e esquecida ficou aquela amizade tão querida.

Outras pessoas foram acontecendo nas vidas, e entrelaçando os caminhos das duas. Longos vinte e dois anos passaram, e hoje, elas foram colocadas uma frente a outra, com seus destinos já traçados.

Bebel tem uma filha, pois se casou logo depois de terem se separado e hoje divorciada revê a amiga da juventude e encanta-se com seu carinho. ( Bebel casou-se e teve uma filha. Hoje está separada. E logo depois do seu divórcio, reencontra a amiga de juventude, e encanta-se, com seu carinho.) Daquele momento em diante elas procuram viver seu apelo emocional, e entregam-se a paixão.A filha de Bebel, nada sabe daquela relação homo-afetiva de sua mãe.

Elas procuram saciar o desejo sem frescura alguma, e entregam-se totalmente ao amor.

Seus olhos buscam-se cheio de excitação, e deixam a vida uni-las nesse caminho sem volta.

No silêncio das madrugadas deixam exalar a paixão vinda dos seus corações.

Nas manhãs geladas, do inverno gaúcho, amanhecem sobre os edredons, saciadas desse amor.

Nádia encanta-se com o amor, e carinho de Bebel, e resolvem morar juntas. Só que ainda precisa contar à filha sobre sua relação.

Os dias vão passando, e Bebel ainda não tem coragem de abrir-se com sua filha, sobre o amor por sua amiga.

Até que um dia, sua filha pergunta sobre sua amiga:

- Mãe... posso perguntar sobre a Nádia?

- Claro filha!

- Bem... mãe ... sinto que a Nádia é uma amiga especial para você.

Gosto muito dela, e sei que ela só te faz bem.

Bebel fica sem saída, e volta-se para a filha e diz:

- Filha... me desculpe não ter falado antes, mas a Nádia é mais do que uma amiga. Tenho uma relação de amor com ela, e eu estava com medo de te contar.

- Puxa mãe!! Pensei que tínhamos uma relação legal. Eu aceito esse amor de vocês. Acho muito lindo esse carinho, que vocês duas têm uma pela outra. Convida ela para vir morar conosco quero dividir esse amor.

As duas abraçaram-se, chorando de emoção, pois a mãe percebe, que soube criar sua filha.

Bebel sai de casa, e vai para o apartamento de Nádia, e fala que sua filha já está sabendo de tudo, e aprova sua relação.

Nádia surpreende-se, e fica muito emocionada. Bebel então a convida para ir morar com elas.

- Claro que aceito esse convite é a coisa que mais eu queria, poder levantar ao teu lado desvendar teus mistérios nas noites de luar.

Naquela noite parece que o mundo conspirou para aquela união, e ouve-se ao longe, uma doce melodia.

Hoje as duas amigas vivem seu amor compartilhando esse doce querer, com sua filha, que hoje tem duas mães carinhosas, que só sabem Amar!

Assim termina essa doce história, AMOR DIFERENTE. Que mostra ao mundo, essa relação de amor, que existe, e deve ser respeitada. Temos que acabar com o preconceito, que ainda insiste em acontecer.

DEIXE O PRECONCEITO DE LADO, VAMOS RESPEITAR AS PESSOAS!



NÓS DUAS E O MAR!



Quarta-feira. Dia frio. Chegamos a Capão da Canoa, para visitarmos o mar, e os amigos que lá moravam.

Na beira do mar, foi o primeiro local que descemos para vermos a beleza da praia e as ondas. Ficamos um bom tempo por lá olhando, e descansando da longa viagem. Sisi ainda cansada, quis esticar aquelas pernas lindas, então foi caminhando pela areia úmida. Eu fiquei observando aquela beleza morena, se dirigindo para o mar.

As ondas vinham para perto dela, e molhavam seus pés. E lá ficou vários minutos brincando, e me chamando, para eu ir brincar também.

Resolvi encarar a água, e fui direto pra ela. Ao me aproximar Sisi atirou um pouco de água para cima de mim, gostei da brincadeira e fiz o mesmo. Caímos na brincadeira, e nossas camisetas ficaram molhadas e transparentes. Avisto aqueles seios deliciosos, que aparecem ..fico olhando aquelas curvas, que me provocam. Vou em direção a Sisi abraçando-a e beijando-a com toda emoção daquele momento.

E nos amamos ali mesmo, naquela areia úmida, apenas com o mar como nossa testemunha.

Saímos de lá toda suja, e fomos para nosso hotel, chegando lá os funcionários ficaram perplexos conosco. Sujas de areia e molhadas. Falamos que o carro havia estragado na beira da praia, e tivemos que empurrar. Fomos para nossa suíte e tomamos um banho quente e pedimos algo para comer, já que ficaríamos por lá mesmo. Nosso lanche chegou, comemos, e ficamos na cama, no colo uma da outra. Adormecemos.

Pela manhã ao acordar vimos, que tinha sol, e saímos para tomar nosso café. Pegamos bolo,frios,sanduíches e alguns canapés e tomamos suco e saímos para passear. Resolvemos caminhar no centro de Capão para visitarmos algumas lojas que estavam abertas naquela época do ano. Já tínhamos marcado de almoçar na casa de uma amiga, que morava no centro. Mas tínhamos que fazer hora para irmos para lá. A cada instante nossos olhares se encontravam e sorríamos de felicidade uma para a outra.

Afinal chega a hora do almoço, e vamos para a casa das amigas, que também são casais como a gente. Na frente da casa tem um jardim com coqueiros lindos e que enfeitam a casa. A porta abre, e Vivian sorri ao nos receber avisando, que Flavia já vem. Entramos, nos abraçamos. e nos dirigimos para a linda sala de estar, de frente para o mar.

A casa é aconchegante, com sala ampla, e piscina no pátio de frente para o mar, nossas amigas agora aposentadas moram em Capão. Abandonaram a metrópole pela calma do mar, pois Flavia é pintora, e lá ela encontra inspiração para pintar suas telas, que são conhecidas no mundo todo.

Flavia adentra a sala sorrindo e diz brincando com suas amigas: "danadas por que não quiseram ser nossas hospedes?."

Então Letícia fala: "- Amigas... não queremos tirar o sossego de vocês, e gostamos de não ter horário para nada, já que estamos de férias."

Tudo bem, mas que bom que estão aqui, agora conosco. Estou fazendo um churrasco de cordeiro, pois sei que Sisi gosta.

Oba, amo cordeiro.

Ficamos ali conversando, e ouvindo música, enquanto Flávia estava na churrasqueira do lado de fora na área.

Vão tomando drinques, acompanhados por petiscos trazidos pela empregada, enquanto o churrasco não fica pronto.

Trocam informações sobre Cultura, Economia e outros assuntos.

Flavia volta para a sala, e chama as amigas para almoçarem.

Deixam as taças na mesinha da sala, e vão para a sala de jantar , que já está arrumada.

Ao fundo uma música para acompanhar tão sofisticado almoço, e companhias.

O almoço está perfeito! Tudo muito bom e, a sobremesa dos deuses.

Almoçamos , saímos da sala e fomos para a sala de jogos onde foi servido o café. Ficamos por ali algumas horas batendo papo e rindo da própria vida.

O dia passou, e chega à hora de irmos embora. Nos despedimos de nossas amigas e saímos.

Letícia dirigia, e Sisi ia conversando e pegando alguns CDs para escutarem enquanto o carro deslizava mansamente pelas ruas daquela cidade encantadora.

No hotel sobem para sua suíte e pegam seus maios e vão para a piscina térmica, e notam que não tem ninguém, pois nesta época os hotéis são completamente vazios.

Procuram nadar e ficam ali por um bom tempo se beijando, se acariciando dentro d'água

Saem dali , voltam para o quarto e vão juntas para o chuveiro.

Letícia contempla sua amiga desnuda a sua frente, e a beija todinha levando-a a loucura, que solta gemidos de prazer, que igualmente ela também corresponde. A cama esta arrumada e as duas caem por cima dela e se amam lindamente.

Depois do amor, corpo cansado adormecem juntinhas.

Pela manhã Letícia pede café no quarto, e que venha com uma rosa vermelha.

Assim chegando o café ela acorda sua bela amiga, e a convida para tomar o lanche matinal juntas.

" - Bom dia, meu amor. Quero dizer que és a pessoa mais importante em minha vida e contigo quero viver para sempre."

Sisi responde:

- Bom dia, minha querida amiga. Eu também te amo e amarei para sempre.

Tomaram o café e foram fotografar os pássaros, que naquela época aparecem por ali.

Fotografaram, e entre um beijo e outro foram deixando o tempo passar.

O dia estava fresquinho e as duas com Jens e coletes caminhavam pela areia de mãos dadas como se nada na vida fosse proibido para elas.

Passaram suas férias tirando fotos, visitando amigos, e curtindo o aroma e o sabor do mar com suas delicias da culinária.

Chega o dia de ir embora, e suas amigas vão ao hotel para se despedirem e Flavia lhes entrega uma tela de Capão para elas.

Ficam fascinadas por aquela paisagem.

Agradecem e se despedem dizendo, que nas próximas férias voltarão para Capão da Canoa.

Assim, termina nossa história, de duas mulheres que sabem viver e amar, apesar de muitas pessoas discriminarem essa forma de amar.

"Toda maneira de Amor vale a pena".



REENCONTRO DE NÓS DUAS



Meados de 2008, inverno na rodoviária de minha cidade natal. Encontro minha amiga que há muitos anos não via.( Meados de 2008. Inverno. Encontro na rodoviária, de minha cidade Natal, uma amiga, que não via a muitos anos.) Ela toda sorrisos, e meu coração batendo mais forte pela proximidade. Desci do ônibus, e fui ao seu encontro cheia de alegria, mas ao mesmo tempo nervosa. Abraços foram trocados, e percebi a ansiedade que nós duas estávamos. ( Percebi nossa ansiedade, enquanto trocávamos abraços.). Fomos para o estacionamento, e percebi que tínhamos o mesmo carro. (mas) Minha amiga, muito falante me contagiava com aquela fala mansa, com uma voz meiga.

Chegamos em sua casa e, ao fechar a porta, ela veio em minha direção e, me deu um suave beijo, que correspondi com paixão. Senti que ali eu ficaria, pois começou a nascer um sentimento todo especial por esta amiga. Passamos os dias juntas, trocando delícias de carinhos. Nunca imaginei sentir, todo esse sentimento por essa amiga do Rondon. Fui correspondida por inteiro. Ela confessou ter ido em minha casa, no passado se declarar pra mim, mas lá encontrou outra pessoa, com quem eu estava na época. Falei que eu também havia sentido algo,mas não comentei, porque pensei, que ela jamais seria de mulher. Esse era o meu grande segredo! E ela também escondia ,todos os seus pensamentos.

Ficamos falando por várias horas e, notei que o tempo passava e, a gente não percebia, tal era nosso encantamento. Daquele dia em diante não nos separamos mais. Passamos o verão juntas. Nosso amor, nosso fascínio é muito forte! Gosto dela, como se fosse a primeira pessoa em minha vida!

No mês de agosto, ela esteve na minha cidade e, aproveitamos para viajar e, curtir todo o tempo juntas. Hoje estamos separadas, mas será por pouco tempo. Nosso amor é maior, e temos todo o tempo do mundo, para viver esse sentimento!

Amo essa amiga, por sua meiguice, simplicidade e honestidade. Adoro ouví-la, pois a cada dia, que passa, ela tem muitos assuntos para contar.

Nossos olhares se encontram, e vivemos nosso amor a cada dia que passa.

Queremos viver esse sonho de amor com toda intensidade, pois ele nasceu em 1980, e hoje o sonho se realizou.







MICRO CONTOS DE VERA SALBEGO TESÃO Na mão o cigarro,na folha em branco que esperava ser possuida pela tesão da escrita.Pobre daquele rapaz. CANTAR Lagrimas a rolar,pessoas a cantar.Sabesse lá o que seria daquele dia sem o defundo naquela mesa de escritório. VIOLINO No ar o estampido ,som tragico.Tragédia de um corpo caido.Ao longe ,som de violino no contraste da existência. REVOLTA Pensamentos em desalinho,coração em chamas,dor na alma.Revolta de um mundo onde a lei é esquececida e a corrupção se faz presente.Na corrida da vida...Revolta.... VIOLÊNCIA Nas ruas,nos becos da cidade.Impera a lei da violência.O homem que mata seu semelhante.Tira a vida,mata a esperança!A bala que passa deixando marcas e familias com perdas.Esse é o Brasil. ESPORTE RADICAL Garoto feliz,fazendo suas manobras radicais.No braço o skate e na alma a coragem.No sorriso maroto do garoto nos cantos e recantos dessa vida levando sua vida sem iqual. DUAS BORBOLETAS No voo da borboleta,que tira o nectar da propria vida.Ato sublime.este de das duas.Em sua beleza ,numa sincronia harmoniosa como se fosse um balé no municipal. SALA DE AULA Professora no quadro ,escreve sobre Santos Dummond.Quando ela recebe na cabeça um aviaozinho de papel.Vira-se e fala: -Quem está brincando na aula?Fui eu sora,só estava querendo ajudar... BAILE DE MÁSCARA Salão cheio de pessoas alegres,baile de máscaras.Nesse momento às pessoas desnudam preconceitos e largam suas verdades contidas.Afinal,tudo é fantasia! NOITE DE AGOSTO Numa noite de agosto,lareira acesa na sala.Familia reunida numa conversa informal,coisa rara naquela época.Rm que familias nunca se encontravam para dialogar. IRMÃO Um irmão falou ao outro,tu nasceu antes por isso tens que trabalhar mais.Eu ainda estou me recuperando nasci depois,por isso ainda estou me refazendo do nascimento. SONHO Estava sonhando com seu grande amor.Acorda e vê que foi apenas um sonho,ele ainda estava ali na sua varanda. VISÃO Apenas sete anos e ela tinha visões,via seus antepassados que vinham conversar.Sua familia não a ouvia e não acreditavam naquelas visões.Até que um dia diz que viu sua avô que morreu a muitos anos. APENAS UM LÁPIS Apenas um lápis que sai de seu esconderijo em busca de sua outra metade a caneta.Para viverem juntos um lindo texto. SEGREDO Seremos sempre um alicerçar de esperança.Uma vontade louca de reencontar,seremos sempre um decifrar de buscas... TE BUSQUEI Te busquei...nas ruas,nas praças nada de você.Caminhei,pequei chuva,resfriado,pneumonia.Evocê estava com uma linda loira na boate da esquina. OLHAR Um olhar em busca de outro olhar,naquela tarde primaveril.Encontra outros olhares em busca de outros olhares,mas nada de encontros de olhares.Apenas um olhar que não enxerga o sentido da vida. CARTEIRA DO CONVÊNIO Fomos ao médico por que a dor era muito forte.Chegando lá,cadê a carteira do convênio.Lógico,voltei emburrada para casa,com a dor e sem atendimento do médico.Atravessei a rua e uma bicicleta me pegou. SILÊNCIO Na cozinha a familia reunida,silêncio.Apenas o barulho dos talheres.Nos finais de semana ,no encontro da familia apenas olhares e gestos para pegar as baixelas.Enfim a voz era ouvida na despedida. SE CADA UM Se cada um procura-se não ferir uma flor,talvez o mundo dos homens fosse mais colorido e tivesse mais amor. SANGUE Cabelos desalinhados,olhos mortiferos e nas mãos cheias de sangue o gosto pela vingança.Prato cheio para um dia nublado. REENCONTRO No final do tunel,apenas.Uma luz.A certeza do reencontro! ESPAÇONAVE Nos meados de 2000,fui para a praia com amigos.Ficamos na madrugada vendo estrelas,quando um a espaçonave passa por nós e nós lleva para muito longe.onde nem a sombra deixa rastro.Apenas o som ... DIA FELIZ Tudo correria as mil maravilhas,filhos criados ,formados,casa propria,carro edinheiro na poupança.Mas,eu estava triste faltava algo.Comecei a fazer caridade.Assim ,aprendi a ser feliz. DIA DE CHUVA O trânsito estava um cãos naquela manhã de chuva,meu entusiasmo para ir ao trabalho estava pior.Quando um carro freia em cima de mim e me derruba me deixando caida lá.Toda suja de lamaE agora! A TURMA A turma apresentava um comportamento displicente .Até que um dia alguém leva um livro para dentro da sala que agradou a galera.Desse momento em diante a turma começou a crescer e tornar-se leitor. GRITO Passadas lá fora,terror congela meu sangue.Aqui dentro tremo só de pensar o que me aguarda lá fora.Rondando a casa.A porta é aberta,fico em pânico.Quem será: -Era apenas meu cãozinho querendo entrar NATUREZA As pessoas precisam ter consciência e cuidar da natureza.pois,ela já esta na UTI.A natureza foi feita em harmonia,nós humanos que desafinamos o ritmo da propria vida. NO MEIO DO LIXO Sou um ser que busca no lixo da humanidade a sobrevivência da vida.Nos restos encontro o alimento que me traz a tona .Da moral se é que existe moral na podridão da humanidade. VILÃO Vilão era o rei da favela.super conhecido por todos.As pessoas o temiam ele era o terror até certo dia.As crianças descobrem que ele tem medo de barata.E enviam um pacote com uma barata ao vilão. UM CÃOZINHO FIEL Certo senhor tinha um cão que sempre estava ao seu lado.Num dia o velho passou mal e o cão saiu a procura de ajuda .E a trouxe,várias pessoas chegaram socorrendo aquele pobre velho.Final feliz ! SOLDADINHO DE CHUMBO Certo soldadinho que gostava de brincar .Foi convocado para ir pra querra.Ele não entendia.Queria ficar para poder brincar com seus amigos.Procurou ficar escondido embaixo da cama . PARA SER Para ser uma escritora,basta ter imaginação,sentimento no coração e na mão ligeira a vontade de escrever um mundo num livro de bolso.E fazer da história uma mensagem para o leitor. A ARVORE ENCANTADA Numa bela cidade do interior,havia uma velha árvore no centro da cidade.Algumas pessoas queriam derruba-la.certo senhor pediu por ela e assim aconteceu.A velha árvore continua em pé até hoje. CIPRESTE FARROUPILHA Sento na sombra do ciprete amigo e tomo meu chimarrão.Recordo um tempo que lutas foram traçadas,homens tombados na conquista de um ideal.Hoje,lembro dos farroupilhas que aqui também sentaram. BIC LIGEIRA No luar encontro a inspiração,que brota nas linhas onde percorro com a bic,companheira das noites.Ver a lua refletida na praia resplandecendo nas ondas lançando seus raios prateados ao encontro da bic BOMDADE Aos homens lhes é permitido o livre arbitrio de escolha.Alguns enveredam ao mundo do bem e da bondade.Ajudando com seu entusiasmo a vida de outros para assim vencerem os problemas da existência. SOMBRA DA ALMA Um homem passou pela vida so fazendo besteira,matou,degolou,roubou.Sua alma presa por seres do mal,não o deixam partir para a luz.Mas,até o mais sombrio das almas tem chance de salvação e busca a luz. O MONSTRO DO COMPUTADOR Camila vivia dia e noite no seu PC,até que um dia ela estava teclando com amigos.De repente seu computador ficou maluco e um grande virus com cara de MOSTRO a atacou e a devorou.Seus amigos viram tudo UM JOGUINHO No domingo o menino corre em busca de sua preciosa amiga a bola.O joguinho com a gurizada no campinho e muito importante,camiseta limpa,calção do timeEnfim,este é um momento sublime para a garotada .. NOITE Naquela noite um grupo de amigos saem para a balada.Mas,não imaginam o perigo que vai ocorrer.Do céu luzes sinistras emitem raios e fazem cair na terra gigantescas melancias. O RABISCO NO CADERNO Adolescente,olhar apaixonado querendo nada de nada.Nos cadernos apenas rabiscos.Até que um dia abaixo de seus rabiscos outros aparecem sem assinatura.Outro adolescente querendo tudo do nada. PAPAI NOEL A menina tinha 5 anos e queria ver o Papai Noel,mas ninguém queria leva-la.Ela resolve fugir evai ao encontro do Papai-Noel.Ai começa a acontecer o sinistro .Papai Noel não veio naquele dia . SEDE Um homem muito sozinho,tinha sede de amigos.Num certo dia,aparece uma menina com uma flor e lhe dá.Ele aceita e fica muito feliz,pois daquele dia em diante a menina o visitava .Enfim ,ele matou a sede OLHAR Na beira da praia caminhando,busco no meu interior minhas verdades.Muitas vezes debocho da vida,faço poesias dos dissabores.Flerto com o tempo e fico a olhar a imensidão do mar.Sento e medito a vida MENINA MALVADA Ela era um terror na vizinhança,maltratava os animais.Certo dia os animais se revoltaram e foram para a janela da menina revindicar os seus direitos.A menina então falou que fazia isso para ser notada MENINO POBRE Um menino caminhava triste pela feira do livro,pois não tinha dinheiro para comprar .Só olhava de longe.Uma pessoa o observava e viu naquele menino o gosto pela leitura e lhe deu um livro... FANTASMA NA BIBLIOTECA No ano de 2001,em uma escola ,ocorreu um fato que mudou o cenário da pacata cidade.Alunos desapareciam ao entar na biblioteca.Até que perceberam que os alunos faziam parte da história dos livros. SOB A SOMBRA DO MEDO Noite enluarada,ruas vazias.Mas,de repente avistamos um ser sinistro correndo em direção ao parque.Em sua mão carrega uma cabeça de gente sangrando.Sob a sombra do medo fica meu grito retido ... SINFONIA DE VERÃO final de semana,dia claro e lindo.Pessoas saem em busca de prazer e de vida.Dois olhares se encontram na busca de outra alma que complete seu ritmo de vida,sua sintonia de amar. ASSASSINADO NA ESCOLA Havia um grupos de amigos que estudavam sempre para as provas do semestre.Certo dia um deles entra na sala repleta de livros e acende o cigarro e põe fogo .Gera um assassinato na escola,morre os livro MENINA DOURADA Era uma vez,uma menina que virou dourada e triste.Mas seus amigos lhe falaram que ela tinha as cores do sol e devia sorrir.Assim a menina acabou feliz por ser uma menina dourada e dar luz a vida . UM OLHAR DIFERENTE Num dia qualquer levanto para sair para o trabalho e percebo ,que este será diferente.Meus pés antes mais leves,agora estão pesados e doloridos com a idade.A rotina continua,mas não naquele dia . DELIRIOS DE UM ANJO PEQUENO SER PADECENDO DAS MAZELAS DA VIDA. NA ALMA A DOR QUE INVADE DILACERANDO SEU MUNDO NO CORPO AS MARCAS DE UMA SOCIEDADE QUE NÃO DEFENDE OS PEQUENOS ANJOS QUE CAMINHAM NAS TRILHAS DA VIDA. SERES MAUS TOMAM SEU CORPO SUA HONRA E INVADEM SEU MUNDO GRITOS DESESPERADOS SOAM NAS CORTINAS DO TEMPO. MAS A ALMA DE UM POETA FAZ ECOAR AO VENTO UMA MISSÃO DE DEFESA A ESSES ANJOS QUE FICAM NA ESTRADA DA VIDA. VERA SALBEGO