CEIÇA ESCH
PORTUGUÊS
TEXTOS
 
TEXTO

A mulher que sou! 

Não sou a mulher que lhe acalma,
a que lhe deixa tranquilo.
Sou aquela que lhe agita,
a que lhe instiga,
lhe faz ultrapassar limites,
a que lhe faz pensar.
Não sou a mulher que lhe faz seguro.
Sou a que lhe desestrutura,
a que lhe faz balançar.
Não sou a mulher que concorda com tudo,
só pra lhe agradar.
Sou a que lhe diz as verdades com frases abertas,
sem vacilar.
Não sou a mulher que lhe coloca no colo
e canta pra você uma canção de ninar.
“Dorme neném, que a cuca vai pegar...”
Sou a “Cuca” que lhe joga na cama,
lhe pega de jeito, incendeia seu corpo,
a que lhe faz rir,
a que lhe faz chorar.
A que lhe tira do sono,
só para lhe beijar.
Não sou a mulher “certinha”
de passos curtinhos.
Sou aquela apressadinha,
que sobe montanhas, pula sobre pedras,
atravessa riachos.
Menina faceira de cabelos molhados,
deita no sofá.
Respira fundo, fecha os olhos,
Se deixa levar...
Não sou a mulher prendada.
Cozinheira esmerada
que lhe sustenta o corpo.
Sou a que lhe alimenta a alma
com músicas, livros e poesias.
A que lhe faz levitar.
Não sou a mulher meiga,
de palavras doces,
significados vazios.
Sou a que nos atos lhe mostra
a verdade do verbo amar.
Não sou a mulher perfeita.
Sou aquela que crê
e sempre apostou em você.
Não sou a mulher presente.
Mas, sou aquela com quem você
sempre pôde contar.
Não sou a mulher dos seus sonhos.
Mas sou a mulher, que um dia lhe fez sonhar.
(Suave Delírio-2009)

ACREDITO

ACREDITO!

Acredito
Na emoção do momento.
Na força do pensamento.
Na verdade do sentimento.
No brilho de um olhar.

Acredito
Na alegria de um sorriso.
No toque suave das mãos.
No abraço apertado.
Na amizade sincera.
No amor sem fim.

Acredito
Na realização dos sonhos.
No cheiro da terra
Que tem gosto de vida.
Na força do destino.
Na coragem em mim.
Na vontade de ficar.

Acredito
Na força das palavras.
E que a poesia invada
Corações endurecidos
Pelo medo de amar.

Acredito
Que você também
Possa acreditar.
 ("Eternamente..."2011)