ANNA RIBEIRO
PORTUGUÊS
TEXTOS
 
TEXTO

LINHAS MINUTOS ...

Em sentimento;
O rogar das almas em conflitos.
Nos sonhos innundam
mares de lagrimas.
Na poeira dos caminhos
os credos em rituais.
Dos desejos voam  os
invisíveis segredos!
Das poças d"agua.
Em lamas um espelho difuso.
Continuam pelas trilhas;
Almas abraçadas a solldão.
Da proxima palavra.
Em pautas, o abismo...
No ámago, em dores
Agarra-se aos versos
para não cair das entrelinhas.

                    Anna Ribeiro.

QUEBRA de  ELOS

Em questão...
Porque trago no peito
este soluço de dor?!
Minhas noites se tornam mais tristes.
Os dias mais taciturnos.
Em minhas entranhas,
Permaneço em dores de açoites.
Na sombra de VOCÊ,
permaneço como mendiga ...
Do insultado AMOR;
o retorno da saudade!
Que redescubro nas
entrelinhas deste poema.

               ****

SONHO BANAL

Ah, Por desventura sonhei com você.
Apareceu com seu andar de malandro.
O sorriso conquistador!
Olhando para todos os lados ,
como o mundo fosse só seu.
Malandro por natureza,
Feliz todo a vontade,
cheio de ginga, girando nos calcanhares,
rodopiava com samba nos pés!
Como nas passarelas,
No enrredo do samba;
Dizia... Sonhos?
'E só para quem é Rei
Acordei!
Ah, desventura.
Outra vez sonhei com  você.

              ****
DESEJO

Há muito sem versejar.
Perdida em espaços.
Em linhas fugidias, escrevo palavras que
teimam por correrem em sentimentos.

Em letras roubo uma estrela cadente.
Rogando por um desejo.
Suplico por teu abraço,
selado por um beijo

... Para sempre  quero ,
Tua eterna lembrança.

            
*****
Apenas Ilusão

Estação
primavera
Noite de céu límpido
e estrelas cintilantes.
Caminha pelas ruas.

Onde as sombras
sobre  calçadas
iluminadas brincam
fazendo mistérios...

O vento assovia
repetindo seus pensamentos.
Enquanto uma rajada mais forte
lambe sua face.

O sorriso maroto
faz a tez se enrubecer.
Coração em disparada...

Apenas mais uma sombra.
- Nada mais.

                 Anna Ribeiro


                   ****

SUPLICA

Em cenário
De muda hamonia
Entre as flores
Tu és a mais bela!
Doce, envolvente
como a lira musical dos Querubins...
Misterosa como os poemas.

                   .........

            BELA  FLOR!

Se não me ouves
Poque me seduz?!
Se tal castigo...
Cuida-te ; o tempo é implacavel
Mesmo a mais bela flor,
Também murcha!
Se teu coração não alcanço...
Não hás de negar-me um
belo sorriso.
Farei deste meu eterno momento.

              ..................


VERSOS QUEBRADOS

Na tortuosa estrda
Os sonhos ficaram
na encruzilhada
          
              ****
Lá no horizonte,
O sol deitou com a lua
A rua escureceu.

             ****
Do amor-perfeito
Abelha colhe mel!
Do zangão amargo fel!

            ****

No embarque de ilusões
Meu barquinho de papel
Tomba em poças d'agua

               ****
Noite sem luar
Vagalume no ar
Ilumina meus sonhos

              ****
Na praia
Em areias brancas
Alegrias de verão!

           ****
Sendo jardineira
Rosas cultivei
Todas doei...

           ****
No banco da praça
Pombos ruflam
Anciâo a cochilar.

          ****
Na estação ferroviaria
...apitou a maquina
tchxxx... saudade ficou.

             ****
Em manhãs de verão
Na janela envidraçada
Vejo revoar das andorinhas
 
                 ****
No muro vizinho
Primavera em flores
Janela quebrada.

             ****
Chuva na vidraça
Criança a espiar
A bola no jardim.

             ****
Na foto de epoca
Longe das almas,
O sépia entristece!

             ....
Em versos,
chora o poeta.
lembranças e saudades

          ....

Neste meu tanto querer...
Fico na sombra da lua,
só para te ver passar.

              ....



      Anna Ribeiro

   ,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, 
                 
CONTOS MINIMALISTAS

                     i
A moça que Ficou

Ele, ainda muito jovem, disfarça sua ansiedade.
Ao seu lado a moça... borracha.
-Sem graça, estorou a borracha?!
Sendo por acaso
Ele, virou de lado e dormiu.
Deixando a moça em estilhaços.

                    ii


      Alma Aprisionada

Que noites dormem a dor dos sonhos?!
Neste silêncio...
O frio congela a alma
O coração rasga o pouco encanto 

Entrega ao poeta, palavras escondidas
Sem portas ou janelas
Um amor em quatro paredes.

Desta loucura...
Poeta  entrelinhas,
como da primeira linha,
Volta aos sonhos;

Para sonhar que em teus braços
Amanhã sera outro dia.

             ****

fragmentos

Na esperança de acordar,
Deixei minha saudade e dores.
Andando por ai...
Ah,... Coração acelerado!

Neste caminhar,
Contemplando varais do tempo
Descubro nos farpados,
Trapos remendados.

Em anseios de novos desejos
... Em busca  de braços
que me abracem

       >>>>>>>>>>
 
POETRIX - Sensuais

         Sonhos

Dos sonhos
... todos sonhei
Ficaram em tempos de ontem

              Olhar
Olhos que disfarçam
nuvens que dispersam
Lagrimas salgadas.

             Amor
Chegou de mansinho
Sem pedir licença
Fe-me prisioneira

             Fim
Das lagrimas...
Aperfidia ilusão!
Triste madrugada.

              Paixão
Sensivel...
Em evidências,
extremas loucuras.

               Prazer
Tua boca no meu peito
coração em brasa,
labaredas da paixão!

              Nós
Em lenções de paixão!
Beijar tua boca
... Prazer!

              Perigosa
Perdida de Amor
Em fragancias...
A sedução é ditadora

              Extremos
Entre paixão e odio
A revelação,
...elos partidos

            Embriagues
Do amor eterno
O doce gosto!
Que a boca embriaga!

                Tédio
Em jardins de primavera
minha alma em outono
queima em folhas secas

                   Anna Ribeiro.
.............................................................

POESIA SUBLIMINAR

Vento morno
Espalhando aromas
'E primavera!

          ...

Vento- asanha
Morno- desejo de ontem
Aromas-de Jasmim!
Espalhando- a saudade
'E-minha alma em
Primavera de versos e sonhos

                     Anna Ribeiro.

              ...................................................
         

ALDRAVIAS /  POEMA/ Anna Ribeiro

                            Nº1

            *ESPERA
Silêncio
dobrado
continuo
chorando
meu
destino

                         Nº2
               * POESIA
Rabisco
letras
riscadas
tortas
cairam
saudades


                        Nº3
           * SONHOS
Depositei
ilusôes
restou
apenas
saudades
sonhadas

                        Nº 4
            * HOJE
Aldravia
poesia
mês
abril
visitando
amigas

                 N° 5
             * VERSOS
Aldravia
meu
novo
verso
que
reverso

                      Nº 6
              * ARTES
Na
tela
rosas
poesias
minha
inspiração

                        Nº 7
                *DORMIDEIRAS
Pudica
mimosas
dormem
onde
nasce
ribeirâo

                     Nº 8
              *AGORA 
Sim
decide
Aldraviar
roçando
dormideiras
saudades

                  Nº 9
               *Letras e Palheta
Em
pinceladas
poeticas
coloridas
aquarelas
lunáticas

                  Nº 10
                * DOS...
Odores
dolores
sentimentos
cores
hoje
cinzas

                       Nº 11
              *TEMPO
Tela
pintura
intuitiva
em
repassando
experiências


                          Nº 12
                   *POEMA
Saudade
trilhos
corridos
linhas
trilhando
sentimentos

                  ... ***...