GIZÉLIA OLIVEIRA DE PAIVA
PORTUGUÊS
TEXTOS
 
TEXTO

CONFIDÊNCIAS
   Minha vida é uma colcha de retalhos e há ainda tanto que remendar! O caminho é longo, renasço a cada dia e os pedaços à costurar aumentam... as mudanças me fortalecem nesta singular descoberta. A variabilidade destes cerzidos, em tamanhos e cores, é de tal magnitude que a minha inquietação me faz conviver com os fantasmoas que habitam minhas contradições.
   Retorno à infância com facilidade. O tempo parece que não passou porque não passaram as emoções...a saudade rebenta no coração e eu procuro resgatar minha alegria para viver de novo.
   As marcas ficarão para sempre. O riso volta continuamente ao rosto; os meus sentimentos são reativados e recebo a emanação de um tempo inconstante de lembranças soltas...revejo teu rosto entre as saudades irreversíveis...recolho os pedaços do meu íntimo espalhados pelo mundo a fora.cochicho segredos, sussurro mistérios,ouço música;em cada acorde escuto tua voz declamando o amor...lembro teu jeito doce,meigo... o prazer da amizade, o sabor dos beijos, o bate-papo regado a felicidade...fatos que são o prolongamento de ti e que jamais se desfocará ao longo do tempo.Permanecerá. Reforço as lembranças e creio, sem duvidar,na transcendência mais que absoluta de todos nós. Choro as saudades, as perdas, os encantamentos. Fui feliz e ainda quero ser. Os retalhos se harmonizam. Costuro os remendos e confio em Deus. Não há o que temer.                             Gizélia Paiva 

                                                                      
                                                                    PASSEIO TURÍSTICO

                                 Quero fazer turismo no teu corpo                                                           Este passeio turístico
                                  começar mergulhando                                                                            une as descobertas visuais
                                  na negritude dos teus cabelos                                                                com inúmeras sensações
                                  me banhar nas lágrimas salgadas                                                          neste cenário apaixonante
                                  dos teus olhos,                                                                                         onde é preciso ter cuidado
                                  descer até tua boca                                                                                  com os picos rochosos,
                                  viver as incontáveis                                                                                  que estão submersos e invisíveis...
                                  possibilidades de aventuras                         
                                  descobrindo desfiladeiros                                                                      quero desvendar segredos
                                  ainda inexplorados...                                                                               abismos profundos...
                                                                                                                                                  desenvolver este potencial
                                  em alguns trechos                                                                                  enfim, unir nossos mundos
                                  haverá agressivas corredeiras                                                               onde esta aventura, certamente
                                  formações magnetizadas                                                                       chegará ao seu apoteótico final...
                                  onde descobrirei
                                  locais jamais visitados... 

                        
                            MÁGOAS ANTIGAS                                                                         
         
                Passate por mim,
                como o vento leve
                carregado de alegrias e tristezas...
      
                Teus olhos falaram de desenganos
                 perdidos no tempo,
                 a dor riscou minha pele com estrias...

                 Meus olhos cobriram-se de sombras
                 minha alma entristeceu...
                 fiquei como um barco abandonado
                 
                 naufragando em mágoas antigas
                 desarticulada, trôpega
                 como girândulas vazias...