ELIANA BARBOSA
PORTUGUÊS
TEXTOS
 
TEXTO

 Vou compartilhar, aqui, alguns dos meus artigos que são publicados em jornais e revistas do Brasil e dos EUA. 
Espero que você goste!

                                                                                             

 CONSTRUINDO RELACIONAMENTOS FELIZES

                                                                                                                          
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                    Eliana Barbosa* 


Um dos maiores entraves aos relacionamentos interpessoais, principalmente aos familiares, diz respeito às falhas na comunicação. É preciso que você entenda que ninguém é igual a ninguém, e que as pessoas, dentro ou não de uma mesma família, se comunicam e vêem o mundo de forma diferente. Uns são mais visuais, outros mais auditivos e outros mais cinestésicos na forma de se relacionar. Vou explicar melhor: as pessoas mais visuais são muito observadoras, mas não gostam de falar muito e nem de afagos e beijinhos; também não gostam de pessoas tagarelas, pois se sentem cansadas com muita conversa; gostam mesmo de certo distanciamento, o que lhes confere um rótulo de pessoas "frias". Já as mais auditivas são muito sensíveis àquilo que ouvem – se for elogios, ficam felizes e estimuladas, mas se forem críticas, ficam muito magoadas e, seja o que for que ouvirem, guardam bem em sua memória. As pessoas mais cinestésicas apreciam a proximidade nos relacionamentos, os toques e carinhos, são muito sensíveis aos cheiros, sabores e sensações. 

Para se sentirem amadas, as pessoas mais visuais precisam de cartas e bilhetes, pois a sua leitura tocará fundo em seus sentimentos; já as pessoas mais auditivas precisam da sua disponibilidade em ouvir tudo o que elas têm para dizer e dialogar com elas; e as mais cinestésicas precisam não só de palavras e olhares, mas, principalmente, de muito carinho, muitos abraços amorosos. 

Dessa forma, diante de tantas diferenças não compreendidas e não aceitas – que são características pessoais e não defeitos –, vemos grandes conflitos nos casamentos e na criação dos filhos. O ideal é que você aprenda a equilibrar todos estes canais de comunicação, entendendo melhor aqueles que fazem parte de seu círculo de relacionamentos: falar menos com os mais visuais, conversar muito com os mais auditivos e tocar carinhosamente os mais cinestésicos – simples assim e com resultados inacreditáveis na convivência do dia-a-dia! 

Em busca de relacionamentos mais felizes, acompanhe esta história, de autor desconhecido: "Ser feliz ou ter razão?": 

"Oito da noite numa avenida movimentada. O casal já está atrasado para jantar na casa de alguns amigos. O endereço é novo, assim como o caminho, que ela conferiu no mapa antes de sair. Ele dirige o carro. Ela o orienta e pede para que vire na próxima rua à esquerda. Ele tem certeza de que é à direita. Discutem. Percebendo que além de atrasados, poderão ficar mal-humorados, ela deixa que ele decida. Ele vira à direita e percebe que estava errado. Ainda com dificuldade, ele admite que insistiu no caminho errado, enquanto faz o retorno. Ela sorri e diz que não há problema algum em chegar alguns minutos mais tarde. Mas ele ainda quer saber: ‘Se você tinha tanta certeza de que eu estava tomando o caminho errado, deveria insistir um pouco mais.’ E ela diz: ‘Meu querido, entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz. Estávamos à beira de uma briga, se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite.’ Essa pequena história ilustra quanta energia nós gastamos apenas para demonstrar que temos razão, independente de tê-la ou não. Desde que ouvi esta história, tenho me perguntado com mais freqüência: Quero ser feliz ou ter razão? Pense nisso e seja muito mais feliz." 
*Eliana Barbosa é Consultora em Desenvolvimento Humano, terapeuta floral, articulista de jornais e de revistas de circulação nacional e internacional, autora dos livros “ACORDANDO PARA A VIDA – Lições para sua transformação Interior”, “O ENIGMA DA BOTA – Enfrentando a sucessão empresarial com equilíbrio e sabedoria” e “CARA A CARA COM ALGUÉM MUITO ESPECIAL – Histórias e lições inspiradoras para você se conhecer... e vencer!” (Novo Século Editora), produtora e apresentadora de programas motivacionais em TV e rádio, e ministra palestras e cursos transformacionais sobre desenvolvimento pessoal e profissional, por todo o país.

Conheça melhor as suas atividades profissionais e assista a alguns programas de TV na internet: www.elianabarbosa.com.br Contato:
elianaelianabarbosa.com.br

(Por favor, com ética e honestidade, respeite os direitos autorais; ao repassar, mantenha os dados da autora). 



FILHOS SÃO COMO PÁSSAROS
  

                                                                                 Eliana Barbosa*


“O mundo que vamos deixar para os nossos filhos depende dos filhos que deixamos para este mundo”. Este ditado popular, tão verdadeiro, nos leva a refletir sobre a importância dos pais na formação integral de seus filhos. Acredito que a melhor forma de prepararmos nossos filhos para fazerem uma diferença positiva neste mundo é permitindo-os alçar vôo, no momento certo, incentivando-os à sua independência emocional e também material, tão necessárias para que se tornem pessoas autoconfiantes e atuantes na comunidade em que vivem. 

Nossos filhos são como pássaros, que estão seguros em seus ninhos, mas só aprenderão a sobreviver se se atreverem a voar em busca de novas possibilidades. Nós, pais, precisamos combater o egoísmo de querer a companhia de nossos filhos pela vida toda. Eles precisam provar o gosto da autoconfiança e da liberdade responsável. Não é nada fácil, nem para os pais nem para os filhos. É preciso muito desprendimento dos pais e até controle emocional para motivarem seus filhos a esse vôo inaugural para a vida adulta. A saudade dói... 

Se seu filho é rebelde e insatisfeito, esta nova vida trará a ele uma visão mais clara acerca dos valores que aprendeu com os pais e ele se tornará uma pessoa muito mais grata ao sentir falta do carinho e atenção que nunca valorizou. Se seu filho for uma pessoa doce e amiga, sua ausência pode até doer mais em seus pais pela saudade de seu companheirismo e amorosidade, mas, mesmo assim, será importante para ele se desapegar e aprender a compartilhar sua afetividade com tantos outros que encontrar pelo caminho. Não fomos criados por Deus para vivermos em uma redoma de vidro e nossos filhos serão muito mais felizes quando nós – pais – não formos mais necessários a eles e, sim, amigos de vivências comuns e de trocas de experiências construtivas. 

Para complementar esta reflexão, leia esta tocante oração, intitulada “A medida certa”, escrito pela jornalista brasileira que reside nos EUA, Debora Motherway, editora da Brazilian People Magazine. A autora redigiu este texto por ocasião do nascimento de sua primeira filha, hoje com 3 anos de idade: “Meu Deus, dê-me a medida certa. Quero proteger minha filha, mas não sufocá-la. Quero antecipar o perigo para avisá-la, mas não achar que tudo em sua vida é ameaçador. Quero abraçá-la e sentir que minha vida não vai bem sem a presença dela, mas saber que somos pessoas individuais e podemos ter caminhos diferentes. Quero saber para poder ensinar, mas perceber quando ela souber mais que eu. Quero que ela precise de mim, mas ficar feliz quando ela se fizer independente. Quero dar-lhe conselhos quando criança, oferecer meus conselhos quando adolescente e esperar que me peça quando adulta. Quero repreendê-la para educá-la e rir com ela de besteiras para que ela possa aprender a errar e aceitar o erro dos outros. Quero mostrar-lhe o que acho certo, mas aceitar se ela escolher diferente. Quero ensiná-la a ser séria, mas também a se divertir. Quero estar sempre pronta a ajudá-la, mas saber que ela não tem obrigação de retribuir. Oh, meu Deus, quero ser assim como a galinha, que delicadamente sabe a pressão certa de seu corpo sobre seus ovos para aquecê-los e não quebrá-los. Assim como a águia que sabe o momento certo de deixar seus filhotes voarem. Ajude-me, Senhor, a seguir a sabedoria da natureza que vive em mim e que às vezes sufoco envolvida pelo egoísmo e egocentrismo que exige que me faça importante na vida de quem é tanto para mim. Oh, Pai, eu lhe imploro, dê-me a medida certa. Faça-me sempre saber que, de qualquer maneira, é a mim que ela irá dar esse nome tão importante e mágico chamado Mãe. Faça-me exercer essa tarefa da melhor forma e sempre agradecer pela oportunidade!” 
*Eliana Barbosa é Consultora em Desenvolvimento Humano, terapeuta floral, articulista de jornais e de revistas de circulação nacional e internacional, autora dos livros “ACORDANDO PARA A VIDA – Lições para sua transformação Interior”, “O ENIGMA DA BOTA – Enfrentando a sucessão empresarial com equilíbrio e sabedoria” e “CARA A CARA COM ALGUÉM MUITO ESPECIAL – Histórias e lições inspiradoras para você se conhecer... e vencer!” (Novo Século Editora), produtora e apresentadora de programas motivacionais em TV e rádio, e ministra palestras e cursos transformacionais sobre desenvolvimento pessoal e profissional, por todo o país. 

Conheça melhor as suas atividades profissionais e assista a alguns programas de TV na internet: www.elianabarbosa.com.br 
Contato: elianaelianabarbosa.com.br 

(Por favor, com ética e honestidade, respeite os direitos autorais; ao repassar, mantenha os dados da autora). 



PARE DE RESISTIR À FELICIDADE

                                                                                                                                                                                                                                                                                      
                                                                                                       Eliana Barbosa*


Nunca, em toda a História, o ser humano teve tantas ferramentas à sua disposição para o seu crescimento pessoal e profissional – além de muitos livros e pesquisas, filmes também, palestras, programas de TV, grupos de estudo, etc. -, e, mesmo assim, podemos perceber, ainda, um grande número de pessoas que resistem a estes temas, acreditando que nasceram com o seu destino traçado, o qual devem apenas aceitar com resignação e, assim, vão levando uma vida sem graça, sem prazer e sem sonhos. São pessoas que não se permitem ser felizes, que não acreditam que merecem momentos de paz e relaxamento e, neste processo de baixa auto-estima e desvalorização delas mesmas, acabam resistindo a qualquer oportunidade de melhoria de vida.

E, então, seguindo a universal e infalível Lei da Atração - que determina que semelhantes se atraem – estas pessoas acostumadas ao sofrimento só encontram em sua existência os desencantos, as doenças e os fracassos, e são verdadeiros imãs para atrair outros sofredores, na forma de amigos e familiares.

No meu ponto de vista, os naturais problemas da vida devem ser conduzidos com uma resignação ativa, ou seja, sem revolta, mas com a transformação para melhor como meta principal. Você jamais deve se habituar ao que não lhe faz bem, jamais! Busque sempre a mudança positiva e acredite que tudo tem solução.

Somos todos filhos de um Pai amoroso e justo que nos deseja única e exclusivamente o melhor – a abundância, saúde perfeita, a plenitude nos relacionamentos e vitórias sem fim. Se não é isto o que você está vivendo hoje, pergunte-se: “O que será que estou fazendo ou que atitudes eu estou tomando que estão atraindo negatividades para mim?” Talvez você questione o fato de que, mesmo sendo uma pessoa muito generosa, a sua vida, ainda assim, é feita de decepções, ingratidões e amarguras. Pois eu vou lhe explicar: isso acontece porque você, provavelmente, não está sendo alguém bondoso com você mesmo, quando permite que energias negativas o envolvam a partir do seu lamentável hábito de queixar-se, criticar e condenar o que você considera ruim. Ou seja, você observa tanto o mundo à sua volta, no seu aspecto mais negativo, que se esquece de focar nos seus sonhos e naquilo que lhe faz mais feliz. É claro que, agindo assim, mesmo sendo a melhor pessoa do mundo, você bloqueia o fluxo de bondade que está esperando para ser direcionado a você.

O fato é que, com os seus pensamentos e palavras, você constrói a sua vida, e, sendo assim, busque sempre padrões positivos de pensamentos e de comentários, procurando ver o mundo com olhos de amor e esperança. Afinal, é você quem vai esculpir a vida próspera e feliz que você merece viver! 


*Eliana Barbosa é Consultora em Desenvolvimento Humano, terapeuta floral, articulista de jornais e de revistas de circulação nacional e internacional, autora dos livros “ACORDANDO PARA A VIDA – Lições para sua transformação Interior”, “O ENIGMA DA BOTA – Enfrentando a sucessão empresarial com equilíbrio e sabedoria” e “CARA A CARA COM ALGUÉM MUITO ESPECIAL – Histórias e lições inspiradoras para você se conhecer... e vencer!” (Novo Século Editora), produtora e apresentadora de programas motivacionais em TV e rádio, e ministra palestras e cursos transformacionais sobre desenvolvimento pessoal e profissional, por todo o país.

Conheça melhor as suas atividades profissionais e assista a alguns programas de TV na internet: www.elianabarbosa.com.br
Contato: elianaelianabarbosa.com.br 

     (Por favor, com ética e honestidade, respeite os direitos autorais; ao repassar, mantenha os dados da autora).