BETTY SILBERSTEIN
PORTUGUÊS
TEXTOS
 
TEXTO

Metacismo Mulherengo! Uma mera mensagem, manuseada por uma mente marota na maciota da meia-noite, faz um mestre mergulhar sem medo no mérito da questão: uma minúscula metafrase marcante: “Mulher é igual a ser mãe, maga, marafona, massoreta, matriarca, matronaça, médica, metafísica, metalúrgica, meteorologista, mímica, missionária, modelo, mofina motoqueira, mulher fatal, mulher maravilha, munícipe, musa, musicóloga ou... até mesmo... um monumento!” Eis aí a pergunta: essa mortal criatura é tão forte assim? Não duvide: momentos antes de passar por uma metrotomia, ela é capaz de preparar em minutos - com mestria - merendas memoráveis, incluindo pratos multicolores com sabores nada monótonos, como maxixe com mel, morango com mostarda, mingau de maracujá, moranga com mexilhão, melão e mortadela, regado a mate gelado e suco de mexerica. Uma morena, cuja magia das madeixas mostra magnânima modéstia, molifica monstruosidades da matemática mesquinha do momento, deixando as mazelas de lado, mimando seu marido e seus rebentos com madrigais, mesuras ou manobras maternais mirabolantes. Essa mulher de César... (... e de Mauro, João, Pedro, Antonio, etc...) por motivos de força maior, muitas vezes acaba sobrepujando magistralmente a própria misantropia na mesmice monótona de mártir milenar de seu matrimônio mingolas. Quer mais? Pois ela consegue ainda ser “mãetorista” misericordiosa e admitir a “mea culpa” por reunir todas as qualidades anteriormente mencionadas, mostrando sua meiguice mesmo à menção de sua monumental e memorável melhor idade. E a todos, peço passagem: afinal, mutatis mutantis... Mulher... é Mulher Mesmo !!! A tempo: sem correr o risco de metraconismo, já seguem aqui meus votos de Parabéns pelo Dia da Mulher !